A cartografia e a formação dos impérios ibéricos na época renascentista.

  • Alisson Eugênio Universidade Federal de Alfenas
  • Altino Sérgio Dias de Oliveira Unifal-MG
Palavras-chave: cartografia, representação, império ibérico, fronteiras coloniais, Renascença

Resumo

Esse estudo tem por objetivo compreender como os mapas produzidos por cartógrafos ibéricos, sobretudo os portugueses, foram utilizados no processo de formação de seus impérios ultramarinos. Para isso, será feita uma articulação entre a história da expansão de Portugal e a produção cartográfica que a acompanhou, para mostrar que tal produção serviu à coroa portuguesa como instrumento de legitimação das suas conquistas, especialmente no continente americano, e como arma ideológica na geopolítica do alvorecer da Idade Moderna.

Biografia do Autor

Alisson Eugênio, Universidade Federal de Alfenas

Alisson Eugênio, natural de Nova Lima-MG, professor de História do Brasil na Universidade Federal de Alfenas desde 2009, é formado em História: graduação pela Universidade Federal de Ouro Preto, mestrado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, doutorado pela Universidade de São Paulo (2008) e pós-doutorado pela Universidade Federal de Minas Gerais. Ao da carreira escreveu Fragmentos de liberdades: as festas religiosas das irmandades de escravos em Minas Gerais na época da Colônia (FAOP: 2007, E-papers: 2ª ed. 2010), Reforming habits: the struggle against poor healt conditions in 19th Brazil (Verlag: 2010), Arautos do progresso: o ideário médico sobre saúde pública no Brasil na época do Império (Edusc: 2012), Fontes para o estudo da história de Alfenas. Alfenas, Universidade Federal de Alfenas, 2013. Unifal-MG: História de uma instituição centenária. Alfenas, Universidade Federal de Alfenas, 2015 e Lágrimas de sangue: a saúde dos escravos no Brasil da época de Palmares à Abolição. São Paulo, Alameda, 2016.

Publicado
03-02-2020