Os territórios das mulheres negras no rap por meio das batalhas de rima

Palavras-chave: Racismo, Gênero, Hip Hop

Resumo

O racismo evidencia-se como maléfico para a população negra e quando combinado com gênero, resulta nas mulheres negras que têm suas vidas condicionadas por estes fatores – raça e gênero –, construindo o espaço geográfico e estabelecendo territórios de forma diferenciada do restante dos grupos sociais. A temática da presente pesquisa envolve as mulheres negras, relacionando-as ao racismo, ao gênero, ao território e ao Hip Hop. Objetiva-se investigar os territórios das mulheres negras no rap por meio das batalhas de rima, para isso, trabalhos de campo foram realizados em seis locais de batalhas de rima na cidade de Londrina – PR para observar a realidade vivenciada pelas mulheres negras. Além disso, essas mulheres negras foram entrevistadas com base em um roteiro de entrevistas semiestruturado. Os principais resultados obtidos evidenciam que as mulheres negras estão criando territórios no rap e nas batalhas de rima, porém, esse processo ainda é lento e os territórios são escassos, os homens predominam nas batalhas e pouco espaço é cedido às mulheres.

Biografia do Autor

Ricardo Lopes Fonseca, Universidade Estadual de Londrina

Licenciado em Geografia pela Universidade Estadual de Maringá. Doutor em Geografia pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Estadual de Londrina. Docente do Departamento de Geociências da Universidade Estadual de Londrina. Campus Universitário, CEP: 86.051-990, Londrina – Paraná, Caixa Postal: 6001. E-mail: ricardolopesfonseca@hotmail.com

Publicado
04-04-2020