AS ROCHAS COMO ELEMENTOS EDIFICANTES E DECORATIVOS NA IGREJA DO CARAÇA, QUADRILÁTERO FERRÍFERO, MINAS GERAIS

  • Ulisses Cyrino Penha
  • Lauro Palú
  • Mônica Pessoa Neves
  • Marcelo Moraes
Palavras-chave: Igreja do Caraça, Geodiversidade, Rochas Ornamentais, Neogótico, Quadrilátero Ferrífero.

Resumo

A igreja de Nossa Senhora Mãe dos Homens, ou igreja do Caraça está localizada no santuário homônimo, a 121 quilômetros de Belo Horizonte, em uma Reserva Particular de Patrimônio Natural. Esta edificação integra o conjunto tombado em 1955, pelo órgão hoje representado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e foi inserida na proposta do Geoparque do Quadrilátero Ferrífero, na serra do Caraça, estado de Minas Gerais. Apesar da sua importância turística, histórica e religiosa, a igreja não dispõe de um estudo sobre a caracterização e a origem dos materiais pétreos utilizados como elementos estruturantes e de decoração. Por meio de trabalhos de campo, descrições macroscópicas, estudo de estruturas sedimentares e de conteúdos fossilíferos, da comparação destas rochas com as descritas na literatura e da leitura de registros históricos, são levantadas hipóteses acerca das suas proveniências e acessos ao Caraça, estes remontando aos séculos XVIII e XIX. A maioria das rochas utilizadas é do próprio Quadrilátero Ferrífero, como o quartzito, os mármores e as rochas metaultramáficas (metadunitos e esteatitos), exceto a ardósia da Bacia do Bambuí e as rochas importadas, como a ardósia dos Pirineus e o calcário português de Lioz. Por essas e outras características, as rochas empregadas na construção da igreja do Caraça entram na classificação de elementos da geodiversidade, e a igreja como um todo representa a mais antiga arquitetura neogótica em cantaria aplicada em igreja do Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ulisses Cyrino Penha

Geólogo, Doutor em Geologia

Pós-doutorando em Geologia Econômica e Aplicada – UFMG, Brasil

Mônica Pessoa Neves

Geóloga, Mestre em Geologia

Doutoranda em Geologia Econômica e Aplicada – UFMG, Brasil

Marcelo Moraes

Geógrafo, Mestre em Geografia

Diretor da GlobalGeo Geotecnologias Ltda, Brasil

Publicado
23-03-2022