Variações ecológicas, fitofisionômicas, edáficas e distribuição das espécies em um gradiente ambiental entre campinarana e campina – Bacia do Rio Demini, AM / Species distribution, ecological, phytophysionomic and edaphic changes in an environmental (...)

  • Felipe Silva Guimarães Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
  • Guilherme Taitson Bueno Universidade Federal de Goiás
  • Débora de Sena Oliveira Mendes Universidade Federal de Minas Gerais
  • Alisson Duarte Diniz Universidade Federal da Bahia
  • Jorge Batista de Souza Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Resumo

Campinas e campinaranas são fitofisionomias amazônicas ocorrentes, sobretudo, na bacia do Rio Negro. Há poucos estudos sobre a composição florística e origem destas fitofisionomias. Trabalhos que buscam relacionar a distribuição geográfica das espécies e fitofisionomias com variáveis edáficas são ainda mais raros. Os objetivos deste trabalho foram: realizar estudo fitossociológico em uma área que apresenta transições entre campinarana florestada, arborizada e campina; esclarecer as relações entre variáveis edáficas e a vegetação ao longo de um gradiente ecológico que perpassa por essas fitofisionomias. A área de estudo está localizada na região centro leste do município de Barcelos. Ao longo de um trasecto foram abertas trincheiras para análise pedológica e montadas parcelas para amostragem vegetação. Amostras de solo também foram coletadas no centro de cada parcela. Para analizar as relações entre as variáveis edáficas e bióticas foram utilizadas as análises PCA, CCA e um perfil geoecológico. Os resultados sugerem que a flora da região parece ser originada principalmente do planalto das Guianas, algumas espécies podem ter origem das florestas de terra firme. Houve mudança expressiva da composição florística, entre outros aspéctos ecológicos, ao longo do transecto. As variáveis ambientais mais relacionadas a estas mudanças são o nível do lençol freático e granulometria.

 

Palavras-chave: Amazônia; Fitogeografia; Ecologia de vegetação.

Abstract

Campinas and campinaranas are Amazon phytophysiognomies occurring mainly in the Rio Negro basin. There are a few studies about the floristic composition and origin of these vegetation types. Works that seek to relate the geographical distribution of species and vegetation types with soil variables are even rarer. This work has the following goals: to perform a phytosociological study in an area which has transitions between forested campinarana, wooded campinarana and campina; point the relationships between soil and vegetation characteristics along an ecological gradient that permeates these vegetation types. The study area is located in the center-eastern region of the Barcelos municipality. Soil samples were also collected in each parcel center. To analyze the relationship between soil and biotic variables were used the PCA and CCA analysis besides the geoecologic profile. The results suggest the flora of the region seems to be originated mainly from Guyana highlands and some species may originate from terra firme forests. There was a significant change in floristic composition and other environmental aspects over the ransect. The variables most related to these changes are the groundwater level and particle size.

 

Keywords: Amazon; phytogeography; vegetation ecology.

Biografia do Autor

Felipe Silva Guimarães, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
Graduado em Ecologia (UNI-BH), especializado em Gestão Ambiental e Geoprocessamento (UNI-BH) e mestrando em Geografia pela PUC-MG. Pussui experiência nas áreas de Pedologia, Botânica, Geoprocessamento e poluição sonora.
Guilherme Taitson Bueno, Universidade Federal de Goiás
Possui graduação em Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais (1997), mestrado em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2001) e doutorado em co-tutela em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), Campus Rio Claro-SP e em Sciences de la Terre pelo Institut de Physique du Globe de Paris (2009). Atualmente é professor do Curso de Graduação em Geografia e do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal de Goiás - UFG. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Pedologia e Geomorfologia, atuando principalmente nos seguintes temas: paisagens naturais da Amazônia, sistemas latossolo/espodossolo, geoquímica e mineralogia de alteritas e solos, relações solo-relevo.
Débora de Sena Oliveira Mendes, Universidade Federal de Minas Gerais
Possui graduação em Ecologia pelo Centro Universitário de Belo Horizonte (2010). Possui mestrado em Geografia - Tratamento da Informação Espacial pela PUC MINAS (2014). Tem experiência na área de Ecologia, com ênfase em Ecologia, atuando principalmente nos seguintes temas: meio ambiente, pedologia, botânica, interações planta-solo.
Alisson Duarte Diniz, Universidade Federal da Bahia
Possui graduação e mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e doutorado em Geografia pela Universidade Estadual Paulista (UNESP). Durante um ano (2008-2009) realizou estágio de doutorado pelo convênio Capes-Cofecub em laboratórios franceses, especialmente no Instituto de Mineralogia e Física dos Meios Condensados (Universidade de Paris VI - Pierre et Marie Curie) e no Laboratório de Biologia do Solo e das Águas (LBSE) ? Université Paris XII, Val de Marne. É professor do departamento de Geografia do Instituto de Geociências da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Pedologia, atuando nos seguintes temas: sistemas de alteração pedológica em ambientes tropicais úmidos, relação solos ? relevo, solos e paisagens
Jorge Batista de Souza, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
possui graduação em Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais, mestrado em Geografia e Análise Ambiental e especialização em Geoprocessamento pela Universidade Federal de Minas Gerais. Atualmente é professor da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Tem experiência na área de Geociências, atuando principalmente nos seguintes temas: Geoprocessamento, Geomorfologia, Mapeamento e Planejamento Ambiental.
Publicado
29-11-2016
Seção
ARTIGOS