Narrativas de curas e exorcismos de Jesus: Uma expressão da linguagem religiosa

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

João Luiz Correia Júnior

Resumo

As narrativas de curas e exorcismos de Jesus ocupam lugar de destaque nos Evangelhos e, de modo especial, no Evangelho de Marcos. Esses relatos escritos têm por base tradições orais, comuns do ambiente do Mar Mediterrâneo, em que havia grande familiaridade com curandeiros, exorcistas e taumaturgos. Além disso, na Palestina do tempo de Jesus, primeira metade do século I, havia grande expectativa messiânica e apocalíptica; Deus estaria prestes a revelar sua face misericordiosa, enviando finalmente o Messias, capaz de restaurar a dignidade do povo de Israel. Nesse contexto, não tardou para que as ações e as palavras de Jesus fossem interpretadas como as de um taumaturgo que, gradativamente, vai sendo proclamado como o Messias esperado. Tendo presente todos esses elementos, o objetivo deste artigo é demonstrar que as narrativas de curas e exorcismos de Jesus podem ser interpretadas como expressão da linguagem religiosa de tradição judaica, que serviu de base para os respectivos textos encontrados nos Evangelhos, fundamentos da cultura religiosa cristã. 

 

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
CORREIA JÚNIOR, J. L. Narrativas de curas e exorcismos de Jesus: Uma expressão da linguagem religiosa. HORIZONTE - Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião, v. 14, n. 42, p. 452-472, 30 jun. 2016.
Seção
Artigos/Articles: Dossiê/Dossier
Biografia do Autor

João Luiz Correia Júnior, UNICAP

Doutor em Teologia (com concentração na área dos Estudos Bíblicos) pelo Programa de Pós-Graduação em Teologia da PUC-RIO. Prof. do Programa de Pós-graduação em Ciências da Religião da UNICAP. País de origem: Brasil. E-mail: jota@unicap.br