Implicações pastorais da liberdade humana em Juan Luis Segundo

Vicente de Paula Ferreira

Resumo


O artigo discute a questão da liberdade humana a partir de relevantes princípios da fé cristã numa época de vulnerabilidade antropológica, sobretudo na realidade latino-americana. Sustenta-se que o Cristianismo deve insistir em sua proposta de construção da fraternidade universal, apesar dos cenários marcados pelo egoísmo, reforçado pela exacerbação do poder e do dinheiro. Esta abordagem pressupõe a radical condição de ouvinte do mistério divino, revelado em Jesus Cristo, como caminho de plenitude da condição humana. A estrutura teórica da Teologia da Libertação, na visão de Juan Luis Segundo, em sua vasta tradição de defesa de uma fé que seja transformadora das realidades de injustiça, será o ponto de apoio para o presente texto. Será também objetivo mostrar que a salvação cristã necessariamente implica a kênosis de Jesus, isto é, Cristo “esvaziou em si mesmo” (Fl 2, 7), e em seu humilde despojamento, rompeu com os sistemas fechados do mundo, promovendo a inédita aventura de uma liberdade libertada: o amor ágape. Conclui-se que a práxis cristã pode ser entendida como cuidado cotidiano para com os mais pobres e profecia do perdão enquanto resgate da memória das vítimas de toda forma humana egoísta.


Palavras-chave


Liberdade; kênosis; salvação; cristianismo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5752/P.2175-5841.2016v14n43p1064

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Esta obra está licenciada sob uma Attribuiton 4.0 Internacional:  
Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0)

 

Redes Sociais:

 

 

Filiada: Apoio:

Logotipo do IBICT

 

 

 

Indexadores e Repositórios/Banco de dados:


Latindex Sumários de Revistas   Brasileiras



 

Presença em algumas bibliotecas no exterior: