A transição religiosa brasileira e o processo de difusão das filiações evangélicas no Rio de Janeiro

Main Article Content

José Eustáquio Diniz Alves
Suzana Marta Cavenaghi
Luiz Felipe Walter Barros

Resumo

O catolicismo tem sido a religião hegemônica no Brasil. Todavia, nas últimas décadas o país está passando por uma grande transformação religiosa, com queda das filiações católicas e um rápido crescimento dos evangélicos, além do aumento, em ritmo menor, de outras religiões e das pessoas que se declaram sem-religião. Assim, cresce a pluralidade religiosa, embora o cristianismo continue amplamente majoritário no país. Mas no seio da religião cristã está havendo uma mudança de hegemonia entre católicos e evangélicos. Uma inovação do dogma e da prática evangélica ocorrida no século XX, nos Estados Unidos, permitiu a difusão das mensagens pentecostais e neopentecostais. O Brasil, sendo o maior país católico do mundo, ganha destaque neste processo. O estado do Rio de Janeiro é o que apresenta menor proporção de católicos e a maior diversidade religiosa no país. Sua Região Metropolitana é a aglomeração urbana mais avançada neste processo de mudança de hegemonia. Esse artigo mostra, adicionalmente, que o processo de expansão evangélica segue um padrão espacial que avança pelas principais rodovias do território fluminense tendo como foco de difusão a periferia da Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Article Details

Como Citar
ALVES, J. E. D.; CAVENAGHI, S. M.; BARROS, L. F. W. A transição religiosa brasileira e o processo de difusão das filiações evangélicas no Rio de Janeiro. HORIZONTE - Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião, v. 12, n. 36, p. 1055-1085, 30 dez. 2014.
Seção
Artigos/Articles: Dossiê/Dossier
Biografia do Autor

José Eustáquio Diniz Alves, Escola Nacional de Ciências Estatísticas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - ENCE/IBGE

José Eustáquio Diniz Alves é doutor em demografia pelo Cedeplar/UFMG, com pós-doutorado no Nepo/
Unicamp, professor titular do Programa de Pós-graduação em População, Território e Estatísticas
Públicas da Escola Nacional de Ciências Estatísticas (ENCE), do Instituto Brasileiro de Geografia e
Estatística – IBGE.

Suzana Marta Cavenaghi, Escola Nacional de Ciências Estatísticas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - ENCE/IBGE

Doutora em demografia pela Universidade do Texas, Austin, professora do Programa de Pós-graduação em População, Território e Estatísticas
Públicas da Escola Nacional de Ciências Estatísticas (ENCE), do Instituto Brasileiro de Geografia e
Estatística – IBGE.

Luiz Felipe Walter Barros, Gerência Técnica do Censo Demográfico - GTD/IBGE

Luiz Felipe Walter Barros tem mestrado na ENCE/IBGE e analista da Gerência Técnica do Censo Demográfico (GTD) da Diretoria de Pesquisa do IBGE