A produção de livros moralizantes em S. Cruz de Coimbra e Alcobaça entre os séculos XIV e XV

Main Article Content

Leandro Alves Teodoro

Resumo

Os scriptoria dos mosteiros de Santa Cruz de Coimbra e de Alcobaça ajudaram, entre os séculos XIV e XV, a disseminar, por diferentes regiões de Portugal, vários ensinamentos de ordem moral, ou melhor, começaram a elaborar obras não só para consumo próprio, mas também para atender outras plagas desse reino. Tendo em vista o comprometimento moralizante de tais instituições monásticas, o objetivo do presente artigo é perscrutar o papel de parte de suas obras na fabricação e fixação de um vocabulário, em língua portuguesa, que passou a nomear práticas vistas como virtuosas e louváveis pelas principais autoridades da Igreja desse período, bem como é examinar a relevância atribuída aos livros redigidos em vernáculo na formação moral de clérigos considerados insipientes. Mais precisamente, este trabalho busca questionar em que medida um grupo de livros, nomeadamente tratados prescritivos e hagiografias, se tornou suporte para termos e expressões que os clérigos regulares e seculares precisavam memorizar para aprenderem a instruir os fiéis cristãos.

 

Article Details

Como Citar
TEODORO, L. A. A produção de livros moralizantes em S. Cruz de Coimbra e Alcobaça entre os séculos XIV e XV. HORIZONTE - Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião, v. 12, n. 36, p. 1369-1383, 15 jan. 2015.
Seção
Artigos/Articles: Temática Livre/Free subject
Biografia do Autor

Leandro Alves Teodoro, UNESP/ campus Franca.

Atualmente é pós-doutorando em história pela UNESP/campus Franca  com bolsa FAPESP e sob a supervisão da Dr. Susani Silveira Lemos França. Em 2011, concluiu seu estágio sanduíche pela Universidade Nova de Lisboa com a supervisão do prof. dr. Bernardo Vasconcelos e Sousa. Possui um livro publicado pela editora da UNESP intitulado A escrita do passado entre monges e leigos. O pesquisador é membro do grupo de pesquisa: Escritos sobre novos mundos: quatro acervos digitais, sediado na UNESP/campus Franca, e com financiamento da FAPESP e CAPES.