Educação para liberdade, solidariedade e ludicidade: Reforma Protestante e corporeidade humana

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Pierre Normando Gomes-da-Silva

Resumo

Este artigo trata de um ensaio analítico-propositivo desenvolvido a partir de revisão teórico-bibliográfica e de levantamento histórico sobre o trato educacional construído por ocasião da Reforma Protestante. Assim, descrevemos as implicações pedagógicas da Reforma Protestante na política educacional quinhentista, destacando a proposta educacional de Martinho Lutero. Uma proposição que rompeu com a mentalidade medieval, aristocrática e feudal, por meio de dois processos: valorizando a língua germânica, a partir das traduções, publicações e criação de escolas populares vernáculas e propondo um modelo educacional fora dos parâmetros escolásticos, que era usado apenas para preparar os jovens candidatos à vida monástica. O projeto educacional protestante pensava uma escola para todos, laica, capaz de assumir a integralidade do homem em sua espiritualidade e corporeidade, superando as dicotomias entre os saberes manual e intelectual e propulsora de uma subjetividade individual e de uma consciência crítica, não submissa as instituições eclesiásticas ou civis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
GOMES-DA-SILVA, P. N. Educação para liberdade, solidariedade e ludicidade: Reforma Protestante e corporeidade humana. HORIZONTE - Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião, v. 15, n. 46, p. 595-614, 30 jun. 2017.
Seção
Artigos/Articles: Temática Livre/Free subject
Biografia do Autor

Pierre Normando Gomes-da-Silva, Universidade Federal da Paraíba

Doutor em Educação (UFRN), Mestre em Teologia (FCTRJ); lotado no Departamento de Educação Física, Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Prof. na graduação em educação física e na pós-graduação em educação física - PAPGEF- UPE/UFPB e na pós-graduação em educação – PPGE-UFPB. Líder do laboratório de estudos e pesquisas em Corporeidade, Cultura e Educação (LEPEC).