Dominicanos no Reino de Nápoles (séculos XIII e XIV): conflitos e alinhamento político

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Igor Salomão Teixeira

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar linhas gerais sobre a instalação de conventos da Ordem dos Frades Pregadores (Dominicanos) no reino de Nápoles entre os séculos XIII e XIV. Os documentos utilizados foram: carta de Frederico II aos Dominicanos, atas de capítulos gerais e provinciais, relatos de Bernardo Gui sobre a fundação e divisões de conventos nas províncias da Ordem e documentos pontifícios (bulas). A metodologia consistiu em três etapas: caracterização da diversidade de documentos utilizados; identificação de informações sobre o estabelecimento de conventos na parte meridional da Itália; análise dos dados obtidos na documentação para compor um quadro aproximado das possíveis relações dos frades com a corte angevina e com o papado. A historiografia especializada também foi utilizada de modo a balizar os limites das interpretações a partir dos dados revelados pela documentação. As conclusões apontam para uma articulação complexa entre Frades Pregadores, a casa de Anjou e o papado, tanto na deflagração quanto na resolução de conflitos, principalmente a partir da década de 1260.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
TEIXEIRA, I. S. Dominicanos no Reino de Nápoles (séculos XIII e XIV): conflitos e alinhamento político. HORIZONTE - Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião, v. 15, n. 48, p. 1253-1273, 31 dez. 2017.
Seção
Artigos/Articles: Dossiê/Dossier
Biografia do Autor

Igor Salomão Teixeira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutor em História. Professor de História Medieval no Departamento e no Programa de Pós-Graduação em História da UFRGS.

Bolsista de Pós-doutorado da CAPES e Pesquisador Associado da École Française de Rome (2017-2018).