D. Francisco de Aquino Corrêa e a construção da identidade mato-grossense

Jérri Roberto Marin

Resumo


Apresenta-se neste artigo o papel desempenhado pelo bispo e arcebispo de Cuiabá D. Francisco de Aquino Corrêa na construção da identidade mato-grossense, entre as décadas de 1910 a 1930. Como governador de Mato Grosso, interveio na esfera cultural a fim de fortalecer as elites cuiabanas e superar as crises política, econômica e social. Para tal, arregimentou um grupo de intelectuais que se empenharam na construção da identidade regional assentada na idealização das terras e do homem mato-grossense, superando os estigmas de fronteira-sertão. Para tal, criou o Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso e a Academia Mato-grossense de Letras, símbolos regionais (hino e brasão), e realizou sucessivas manifestações culturais. Como membro da hierarquia eclesiástica, empenhou-se em recuperar o prestígio da Igreja Católica, valorizar os aspectos religiosos da cultura brasileira e propagar o regionalismo, o nacionalismo e o culto à nação.


Palavras-chave


D. Francisco de Aquino Corrêa; Mato Grosso; Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso; Identidade

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5752/P.2175-5841.2018v16n50p780-811

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Esta obra está licenciada sob uma Attribuiton 4.0 Internacional:  
Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0)

 

Redes Sociais:

 

 

Filiada: Apoio:

Logotipo do IBICT

 

 

 

Indexadores e Repositórios/Banco de dados:


Latindex Sumários de Revistas   Brasileiras



 

Presença em algumas bibliotecas no exterior: