O sentido do “Sem-sentido do Ritual”: o ritual Védico (yajña) como narrativa de renúncia (tyāga) [segundo a escola não dualista advaita Vedānta]

  • Dilip Loundo Filósofo e Sociólogo. Professor Adjunto do Departamento de Pós-Graduação em Ciência da Religião da UFJF. Bacharel em Ciências Sociais pela UFRJ e em Ciências Econômicas pela UERJ. Mestre em Filosofia da Ciência e da Técnica pela UFRJ e Doutor em Filosofia Indiana pela Universidade de Mumbai (Índia). Pós-Doutorado em Filosofia Indiana pela UFRJ. Pós-graduado lato sensu em Sânscrito pela Universidade de Mumbai (Índia). Ex-professor de Filosofia na UFRJ e ex-ocupante da Cátedra do Itamaraty de Estudos Indo-Brasileiros na Universidade de Goa (Índia).
Palavras-chave: renúncia, ritual sacrificial, dharma, injunções Védicas, Vedānta.

Resumo

É objetivo do presente artigo sustentar que a renúncia (tyāga) sistemática, deliberada e gradual, constitui a dimensão fundamental das tradições védicas indianas e a principal característica do que poderia ser denominado de horizonte religioso ou espiritual, em contraste com um horizonte mundano. Tentarei mostrar que a renúncia é, em última análise, o meio que vibiliza a superação do sofrimento (duḥkha), através de uma imersão gradual, de caráter cognitivo, nos níveis mais profundos da Realidade imediata. Considerando os dois níveis constitutivos da senda religiosa dos Vedas segundo a escola não dualista Advaita Vedānta - a saber, (i) karma enquanto ação ritual conduzente a renascimentos aprimorados, e (ii) jñāna enquanto disciplina conducente à meta final de auto-conhecimento -, o foco específico do presente artigo será o primeiro nível. Nesse sentido, esforçar-me-ei por apresentar criticamente as características específicas, as modalidades e as facetas cognitivas da renúncia que compõem, em minha opinião, o significado fundamental da teleologia do dharma, a ser perseguido em consonância com as prescrições narrativas dos Vedas e na forma de ações rituais – karma - conducentes ao paraíso numa vida futura.

Biografia do Autor

Dilip Loundo, Filósofo e Sociólogo. Professor Adjunto do Departamento de Pós-Graduação em Ciência da Religião da UFJF. Bacharel em Ciências Sociais pela UFRJ e em Ciências Econômicas pela UERJ. Mestre em Filosofia da Ciência e da Técnica pela UFRJ e Doutor em Filosofia Indiana pela Universidade de Mumbai (Índia). Pós-Doutorado em Filosofia Indiana pela UFRJ. Pós-graduado lato sensu em Sânscrito pela Universidade de Mumbai (Índia). Ex-professor de Filosofia na UFRJ e ex-ocupante da Cátedra do Itamaraty de Estudos Indo-Brasileiros na Universidade de Goa (Índia).
Doutor em Filosofia Indiana pela Universidade de Mumbai (Índia), Pós-Doutor em Filosofia Indiana pela UFRJ, Mestre em Filosofia da Ciência e da Técnica pela UFRJ, Pós-Graduado lato sensu em Sânscrito pela Universidade de Mumbai (Índia), Bacharel em Ciências Sociais pela UFRJ e Bacharel em Ciências Econômicas pela UERJ. É Professor do Departamento de Ciência da Religião da UFJF e Coordenador do Núcleo de Estudos em Religiões e Filosofias da Índia (NERFI-CNPq.) do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Religião da UFJF. Foi Professor Visitante (Shivdasani Fellow) do Oxford Centre for Hindu Studies da Universidade de Oxford (Reino Unido), e da Faculdade de Línguas, Literatura e Estudos Culturais da Universidade Jawaharlal Nehru de Nova Delhi (Índia). É ex-professor de Filosofia da UFRJ e ex-ocupante da Cátedra do Itamaraty de Estudos Indo-Brasileiros (Leitorado) na Universidade de Goa (Índia).
Publicado
31-12-2018
Como Citar
LOUNDO, D. O sentido do “Sem-sentido do Ritual”: o ritual Védico (yajña) como narrativa de renúncia (tyāga) [segundo a escola não dualista advaita Vedānta]. HORIZONTE - Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião, v. 16, n. 51, p. 1152, 31 dez. 2018.