As cartas de Tell El-Amarna e o tráfico de mulheres em Canaã

José Ademar Kaefer

Resumo


As 382 cartas encontradas em Tell El-Amarna trazem não somente informações sobre a política administrativa do Egito durante a Era do Bronze Tardio, mas também sobre as transações internacionais que envolviam vidas humanas. O objetivo deste ensaio é mostrar, através das entrelinhas das cartas de El-Amarna, como funcionava o tráfico de mulheres de Canaã para o Egito nesse período. Temos duas situações: uma é o tráfico de mulheres entre o Egito e os grandes reinos, como Assíria, Babilônia e Mittani, e o outro é o tráfico de mulheres das cidades-Estado de Canaã para o Egito. No primeiro caso, o tráfico se dava através de alianças entre os reis e que envolviam o casamento com as filhas da realeza, as quais eram enviadas para o harém deste ou daquele rei. No segundo caso, temos novamente duas situações. A primeira é o envio de mulheres (adolescentes) das cidades-Estado para o Egito. Ou seja, o envio de mulheres ao Egito, para fins diversos, era umas das obrigações dos reis vassalos cananeus. A segunda situação é a compra de mulheres como mão de obra especializada. Neste caso, as mulheres eram treinadas e preparadas para o serviço na corte e depois vendidas.


Palavras-chave


cartas de El-Amarna; Egito; Canaã; mulheres; tráfico

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.5752/P.2175-5841.2019v17n52p114-131

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Esta obra está licenciada sob uma Attribuiton 4.0 Internacional:  
Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0)

 

Redes Sociais:

 

 

Filiada: Apoio:

Logotipo do IBICT

 

 

 

Indexadores e Repositórios/Banco de dados:


Latindex Sumários de Revistas   Brasileiras



 

Presença em algumas bibliotecas no exterior: