As cartas de Tell El-Amarna e o tráfico de mulheres em Canaã

Palavras-chave: cartas de El-Amarna, Egito, Canaã, mulheres, tráfico

Resumo

As 382 cartas encontradas em Tell El-Amarna trazem não somente informações sobre a política administrativa do Egito durante a Era do Bronze Tardio, mas também sobre as transações internacionais que envolviam vidas humanas. O objetivo deste ensaio é mostrar, através das entrelinhas das cartas de El-Amarna, como funcionava o tráfico de mulheres de Canaã para o Egito nesse período. Temos duas situações: uma é o tráfico de mulheres entre o Egito e os grandes reinos, como Assíria, Babilônia e Mittani, e o outro é o tráfico de mulheres das cidades-Estado de Canaã para o Egito. No primeiro caso, o tráfico se dava através de alianças entre os reis e que envolviam o casamento com as filhas da realeza, as quais eram enviadas para o harém deste ou daquele rei. No segundo caso, temos novamente duas situações. A primeira é o envio de mulheres (adolescentes) das cidades-Estado para o Egito. Ou seja, o envio de mulheres ao Egito, para fins diversos, era umas das obrigações dos reis vassalos cananeus. A segunda situação é a compra de mulheres como mão de obra especializada. Neste caso, as mulheres eram treinadas e preparadas para o serviço na corte e depois vendidas.

Biografia do Autor

José Ademar Kaefer, Universidade Metodista de São Paulo - UMESP

Doutor em Sagradas Escrituras pela Universidade de Münster, Alemanha (Westfälischen Wilhelms-Universität Münster); Pós-doutorado pelo Departamento de Arqueologia da Universidade de Tel Aviv, Israel; Professor titular de mestrado e doutorado de AT do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da Universidade Metodista de São Paulo - UMESP; Coordenador do Grupo de Pesquisa “Arqueologia do Antigo Oriente Próximo” (http://portal.metodista.br/arqueologia)

 

Publicado
30-04-2019
Como Citar
KAEFER, J. A. As cartas de Tell El-Amarna e o tráfico de mulheres em Canaã. HORIZONTE - Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião, v. 17, n. 52, p. 114-131, 30 abr. 2019.