Abraham J. Heschel e a mística do pathos divino

  • Edson Fernando de Almeida Professor do Programa de Pós-graduação em Ciência da religião da UFJF
Palavras-chave: Heschel, pathos divino, teologia profunda, mística

Resumo

A categoria do pathos divino ganhou em Abraham Heschel sua expressão mais forte. O profeta não tem ideias e conceitos sobre Deus, o profeta é aquele que sofre uma ação transitiva de Deus.  Não se trata de uma fusão com Deus, trata-se de ser afetado pelo pathos de Deus. Para Heschel a experiência mística é um êxtase do ser humano; a revelação é um êxtase de Deus. Não é Deus que é uma experiência do ser humano; o ser humano é que é uma experiência de Deus. Deriva daí não uma mística unitiva propriamente, mas uma mística simpatetica, que se traduz como resposta humana às dores de Deus nas dores do mundo. O que testemunham os profetas não é a essência do divino, mas seu pathos, sua concernência com a miséria humana. O pathos divino é como uma ponte lançada sobre o abismo que separa o ser humano de Deus.

Biografia do Autor

Edson Fernando de Almeida, Professor do Programa de Pós-graduação em Ciência da religião da UFJF
Possui graduação em Teologia - Seminário Presbiteriano do Sul (1985), graduação em Psicologia - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1993), mestrado em Teologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1998) e doutorado em Teologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2002), pós doutorado em Ciência da Religião pelo Programa de Pós- Graduação em Ciência da Religião da Universidade Federal de Juiz de Fora - PPCIR-UFJF (2015). É professor Adjunto do Departamento de Ciência da Religião da Universidade Federal de Juiz de Fora. Integra o grupo de pesquisa Apophatiké - Estudos Transdisciplinares em Mística.
Publicado
30-04-2019
Como Citar
ALMEIDA, E. F. DE. Abraham J. Heschel e a mística do pathos divino. HORIZONTE - Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião, v. 17, n. 52, p. 132-147, 30 abr. 2019.