Judaísmo enoquita: pureza, impureza e o mito dos vigilantes no Segundo Templo

  • Kenner Roger Cazotto Terra Faculdade Unida de Vitória (FUV)
  • Abdruschin Schaeffer Rocha Faculdade Unida de Vitória (FUV)
Palavras-chave: Judaísmo, judaísmo enoquita, religião, Segundo Templo, puro-impuro

Resumo

O artigo se propõe discutir as categorias de “pureza” e “impureza” como instrumentos de estruturação da realidade e construção de identidades, no contexto do judaísmo enoquita, no período do Segundo Templo. Investiga-os, de modo especial, a partir do Mito dos Vigilantes narrado no Livro dos Vigilantes, que compõe a literatura apocalíptica de 1 Enoque (1-16). Tanto a homogeneidade verificada na linhagem garantia a pureza da raça e, consequentemente, o estabelecimento da identidade, quanto a subversão cósmica, resultante de deslocamentos de lugares pré-estabelecidos, estruturava a noção de impureza. O artigo apresenta o judaísmo enoquita a partir das pesquisas que tiveram lugar depois da década de 1980. A literatura enoquita é o espaço literário a partir do qual somos lançados à discussão em torno do puro e impuro como categorias de compreensão da realidade na perspectiva desse movimento. O artigo se serve das pesquisas da antropóloga Mary Douglas, para então propor uma análise do Mito dos Vigilantes e suas releituras. O artigo parte do pressuposto de que, em certo sentido, a pluralidade percebida no período do Segundo Tempo instaura possibilidades de pensar a fé na história da tradição judaica. Esse movimento apocalíptico influenciou outros movimentos religiosos, dentre os quais, os cristianismos dos primeiros séculos, razão pela qual algumas experiências religiosas, cujas raízes se encontram na tradição judaico-cristã, podem ser mais bem avaliadas.

Biografia do Autor

Kenner Roger Cazotto Terra, Faculdade Unida de Vitória (FUV)
Graduado em Teologia (EST), Mestre e doutor em Ciências da Religião (UMESP), Membro do grupo de Pesquisa Oracula (www.oracula.com.br), membro da ABIB (associação brasileira de interpretação bíblica) e SBL
Abdruschin Schaeffer Rocha, Faculdade Unida de Vitória (FUV)

Doutor em Teologia pela PUC-RIO. Professor no curso de graduação em Teologia e no programa de
pós-graduação Stricto Sensu em Ciências das Religiões da Faculdade Unida de Vitória.

Publicado
30-04-2019
Como Citar
TERRA, K. R. C.; ROCHA, A. S. Judaísmo enoquita: pureza, impureza e o mito dos vigilantes no Segundo Templo. HORIZONTE - Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião, v. 17, n. 52, p. 148-166, 30 abr. 2019.