A exegese de Fílon de Alexandria e o peculiar caso de Noé como Deucalião

  • Cesar Motta Rios Pesquisador independente, integrante do Grupo de Pesquisa Bíblia, Arqueologia e Religião (EST).
Palavras-chave: Fílon de Alexandria, exegese, Noé, Deucalião, mitologia

Resumo

Fílon de Alexandria (I d.C.) é mencionado frequentemente como exemplo de exegeta que adotava o método da interpretação alegórica. Por vezes, entende-se, de modo pré-concebido, que sua hermenêutica é imaginativa, descuidada e pouco responsável. Neste artigo, a partir de uma pesquisa bibliográfica abrangente e estudo de fontes primárias em suas línguas originais, apresento o alexandrino como um exegeta inserido em seu tempo, dotado de recursos, que observava parâmetros. Além de uma apresentação inicial, abordo detidamente um caso específico: a identificação que Fílon faz entre Noé e Deucalião em Sobre Penas e Recompensas 23. Meu objetivo é compreender como esse procedimento, que é incomum, uma vez que o alexandrino evita recorrer à mitologia comparada, se insere no corpus filoninano. Demonstro que é razoável que não se trate de uma intencional associação entre mitos, mas entre personagens históricos. O trecho não deixa de ser atípico, especialmente quando visto de nossa perspectiva, mas é coerente com a estratégia do exegeta de Alexandria, quando visto a partir da perspectiva dele.

Biografia do Autor

Cesar Motta Rios, Pesquisador independente, integrante do Grupo de Pesquisa Bíblia, Arqueologia e Religião (EST).
Doutor na área de Literaturas Clássicas e Medievais, Mestre em Estudos Clássicos, Bacharel em Letras: Grego e Licenciado em Letras: Espanhol, sempre pela UFMG. Realizou pós-doutorado no Programa de Pós-Graduação em Filosofia da UFMG.
Publicado
30-04-2019
Como Citar
RIOS, C. M. A exegese de Fílon de Alexandria e o peculiar caso de Noé como Deucalião. HORIZONTE - Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião, v. 17, n. 52, p. 93-113, 30 abr. 2019.