NIETZSCHE E A MORAL DA COMPAIXÃO: Identificação e superação do princípio ascético-compassivo schopenhaueriano

Silva,$space}Edward Flaviano da
Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião, PUC Minas
abril, 2010
 

Resumo

A dissertação apresenta uma perspectiva de interpretação do pensamento de Nietzsche em relação à moral da compaixão e ao ascetismo. A fim de identificar o alvo para o qual Nietzsche direciona a sua crítica, a pesquisa identifica no pensamento de Arthur Schopenhauer sua posição em torno ao tema vontade, compaixão e ascetismo. Nas observações preliminares, nota-se que Schopenhauer concebe o mundo como constituído de um princípio único chamado vontade, que se configura como detentora da essência do mundo, como insaciável, como um querer perene e, por apresentar essa incompletude eterna, como algo que instaura o sofrimento no mundo. As discussões seguem trazendo a análise de que, como proposta de alívio para o sofrer, causado pela vontade, Schopenhauer traz à tona a compaixão e o ascetismo. Logo em seguida, é posto em cena o pensamento de Nietzsche, que estabelece um diálogo com Schopenhauer no que se refere ao princípio do sofrimento na humanidade, inaugurando uma nova perspectiva de abordagem sobre o tema. A perspectiva nietzscheana apresenta um caminho no qual não se almeja fugir da dor, como propõe Schopenhauer, mas que estabelece uma interpretação desse sentimento como possibilidade de criação, de amor à terra, de concepção dinâmica do mundo como um eterno retorno de todas as coisas e como lugar de um possível surgimento do Übermensch.