ESPIRITUALIDADE E SENTIDO DE VIDA NA VELHICE TARDIA

Freitas,$space}Anna Cristina Pegoraro de
Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião, PUC Minas
junho, 2010
 

Resumo

Esta dissertação teve como objetivo principal compreender como a vivência da espiritualidade influencia na elaboração do sentido de vida na velhice, utilizando-se, para tal, de uma pesquisa de abordagem qualitativa. Para embasar a análise, a revisão da literatura abordou os conceitos de velhice em diferentes momentos da história e a velhice como um estágio do desenvolvimento humano. Destacam-se no referencial teórico: as ideias de Erik e Joan Erikson para a compreensão da velhice tardia, com o conceito introduzido por Joan relacionado ao nono estágio de desenvolvimento – a gerotrancendência; os conceitos de espiritualidade de Boff e; a compreensão de sentido de vida postulados por Viktor Frankl. Na pesquisa empírica os dados foram coletados através de História Oral com oito mulheres entre 80 e 100 anos de idade. As narrativas geraram três temas principais: velhice, espiritualidade e sentido de vida, que foram desdobrados em categorias. A análise permitiu, em síntese, concluir que a espiritualidade se mostrou um fator contribuinte fundamental para a elaboração do sentido de vida na velhice tardia. Sempre, em todas as dificuldades, a espiritualidade está presente como fator indispensável não só no enfrentamento das mesmas, como também – e principalmente – como colaboradora de sentido para suas vidas. O grupo pesquisado também demonstrou que se pode viver uma velhice tardia com qualidade de vida, dependendo do estilo de vida, da prática espiritual e da consciência temporal, ou seja, é possível manter uma vida com sentido. Esta percepção vai ao encontro da atual visão idiossincrática da velhice, em que cada um envelhece a sua maneira. Esse grupo pesquisado mostrou que os estereótipos vinculados ao velho muito velho não se aplicam a ele. No trabalho, também foram apresentadas novas possibilidades de pesquisas na faixa etária da amostragem trabalhada, ainda pouco pesquisada em gerontologia, mas que deve ser foco de estudos em função do envelhecimento populacional mundial e do fenômeno do aumento da esperança de vida ao nascer. Diante dos poucos estudos desenvolvidos sobre o fator espiritualidade na elaboração do sentido de vida na velhice tardia, do grande interesse em pesquisas sobre envelhecimento e, principalmente, por estarmos diante de um envelhecimento populacional irreversível e incontrolável que está mudando o perfil etário da população brasileira e mundial, esta pesquisa é uma contribuição relevante aos estudos sobre envelhecimento.