A INEVITABILIDADE DO RELATIVISMO E A SECULARIZAÇÃO: A situação da Igreja Católica, segundo Paul Valadier

Rodrigues,$space}Júlio César
Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião, PUC Minas
setembro, 2010
 

Resumo

Esta dissertação se propõe a pensar o problema da secularização, tendo por base
seu entendimento como manifestação do niilismo contemporâneo. Mais do que se
posicionar como um julgador das conseqüências dessa questão para a vida
contemporânea, o que se pretende é compreender a origem desse relativismo,
advindo do niilismo, marcado anteriormente pelo pensador alemão Friedrich
Nietzsche. Este trabalho não contempla diretamente o pensamento nietzscheano,
mas sim a leitura desse pensamento na direção construída pelo professor Paul
Valadier, cujas obras nos convidam a compreender o problema do relativismo em
nossa sociedade. Mesmo sendo um membro da Igreja Católica, Paul Valadier não
se omite em estudar um dos pensadores que, ainda que não chegue a ser
considerado o fundamento do ateísmo moderno, é a própria imagem de um ateísmo,
pensado à custa da negação de Deus, através de sua morte. Inspirado pelos
“ventos” do Concílio Vaticano II, Paul Valadier acredita que Nietzsche tem algo a
dizer a respeito dos rumos do Cristianismo contemporâneo, indo além da impressão
simplória que pré-conceituou o pensador alemão até os dias de hoje. Seguindo essa
ideia, Paul Valadier analisa os impactos que o relativismo tem sobre as concepções
éticas e morais, no âmbito da vivência moral e social. Para o autor, não basta
apenas compreender os conceitos de ética e moral, é preciso, também, visualizar
sua aplicação nos campos diversos da vida humana, tanto do ponto de vista social
quanto individual. Posteriormente, é fundamental que se entenda que esses
impactos também atingiram a própria Igreja, de modo a levá-la a questionar a sua
forma de compreender o mundo e as relações à sua volta. Por isso, tentando dar
uma resposta convincente a essa questão, a Igreja respirou os ares do Concílio
Vaticano II, que foi além ao procurar criar opções de rumos diferentes dentro de um
mundo baseado e constituído na diversidade e na multiplicidade. Afinal de contas, é
tão importante para a humanidade compreender sua história pregressa, quanto
compreender o fundamento de suas escolhas cotidianas, principalmente no campo
da moral e da ética, a fim de se adaptar constantemente aos desafios, que, muitas
vezes, ela mesma cria em seus âmbitos diversos.