FREI DAMIÃO: a figura do conselheiro no Catolicismo Popular do Nordeste brasileiro

Cruz,$space}João Everton da
Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião, PUC Minas
abril, 2010
 

Resumo

O objetivo desta pesquisa foi estudar a atuação do missionário capuchinho Frei Damião de Bozzano (1898-1997), que chegou ao Brasil em 1931 para atuar nas Santas Missões, com o objetivo de disseminar o catolicismo romano. Nessa direção, a função do missionário era moldar o catolicismo dos nordestinos conforme o esquema do catolicismo oficial. O contexto onde acontece o fenômeno religioso em torno do Frei Damião é, sobretudo, o sertão nordestino. O frade se adaptou à mentalidade rural, às práticas religiosas e à linguagem bucólica do povo nordestino. Seu carisma junto à população foi largamente usado politicamente. A pesquisa mostra que paradoxalmente, essa proximidade com o povo tornou-o uma figura polêmica dentro da igreja, uma vez que seus ouvintes o transformaram em conselheiro, situando-o na estirpe de conselheiros da cultura popular sertaneja do Nordeste brasileiro. O capítulo I situa Frei Damião na “estirpe” de grandes conselheiros: Padre Ibiapina, Beato Antônio Conselheiro e Padre Cícero. O capítulo II investiga as obras disponíveis sobre Frei Damião e faz uma apreciação dos livros publicados por biógrafos e historiadores. O capítulo III traz os resultados da pesquisa que caracteriza Frei Damião como conselheiro, por meio das narrativas dos informantes qualificados, bem como da observação participante da visita ao seu túmulo, em Recife. A caracterização de Frei Damião como conselheiro se comprova também pela análise da literatura de cordel referente ao missionário capuchinho que marcou a história contemporânea do Nordeste brasileiro.