ATIVIDADE TESTEMUNHAL E TRADIÇÃO ORAL NO EVANGELHO SEGUNDO MARCOS

Main Article Content

Sidney de Moraes Sanches

Resumo

Esse Artigo examina a atividade testemunhal sobre Jesus de Nazaré que antecede e acompanha o período de formação das tradições orais nas primeiras congregações cristãs. Ele assume que o Evangelho de Marcos é uma transcrição e edição de testemunhos, onde seu Autor constrói uma vida de Jesus usando da voz de suas testemunhas. O Artigo descreve as noções fundamentais de testemunho e testemunha, trata brevemente do contexto testemunhal no Antigo (Primeiro) e Novo (Segundo) Testamento, para adentrar no tema dos testemunhos e das testemunhas no Evangelho de Marcos. Na parte principal, apresenta casos exemplares da atividade testemunhal no texto marcano. E, ao final, sugere critérios de: oralidade, narratividade, retoricidade, para a análise exegética dos testemunhos.

Article Details

Como Citar
MORAES SANCHES, S. DE. ATIVIDADE TESTEMUNHAL E TRADIÇÃO ORAL NO EVANGELHO SEGUNDO MARCOS. INTERAÇÕES, v. 14, n. 25, p. 145-168, 30 jun. 2019.
Seção
ARTIGOS
Biografia do Autor

Sidney de Moraes Sanches, Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia

Doutor em Teologia e pós-doutorando em Teologia pela Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia, FAJE, em Belo Horizonte (MG), Brasil, onde atua como professor colaborador. Bolsista PNPD/CAPES.

Referências

AUDI, Robert. Epistemology: A contemporary introduction to the theory of knowledge. 2ª Ed. New York: Routledge, 2003.
AUNE, David E. (Ed.) Greco-Roman Literature and the New Testament: Selected forms and genres. Atlanta: Scholars Press, 1988.
BAILEY, Kenneth. Informal Controlled Oral Tradition and the Synoptic Gospels. Themelios. vol. 20, n. 2, 1995. Disponível em: https://pt.scribd.com/document/353281537/Article-Kenneth-Bailey-Oral-Tradition-Synoptic-Gospels> Acesso em: 31 ago. 17
BAUCKHAM, Richard. Jesus e as Testemunhas Oculares. São Paulo: Paulus, 2011.
BENVENISTE, Émile. O Vocabulário das instituições indo-europeias: Poder, Direito, religião. Campinas: Unicamp, 1995, vol. II.
BERTAUX, Daniel. Narrativas de Vida: A pesquisa e seus métodos. Natal: EDUFRN, São Paulo: Paulus, 2010.
BRUEGGEMANN, Walter. Teologia do Antigo Testamento: Testemunho, disputa e defesa. 1ª Ed. Santo André: Academia Cristã, São Paulo: Paulus, 2014.
COENEN, Lothar. martyria (testemunha, testemunho). In: COENEN, Lothar; BROWN, Colin (Eds.) O Novo Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento. São Paulo: Vida Nova, 1983, vol. IV.
DUNN, James D. G. Jesus remembered. Grand Rapids: Eerdmans, 2003.
_____, James D. G. Jesus em nova perspectiva: o que os estudos sobre o Jesus histórico deixaram para trás. São Paulo: Paulus, 2013.
KELBER, Werner H. Tradition Orale et Écriture. Paris: DUCERF, 1991.
MEDEIROS, Felipe Castelo Branco. Epistemologia do Testemunho: uma avaliação crítica. Brasília, 2015. Dissertação (Mestrado em Filosofia). Faculdade de Filosofia da Universidade de Brasília. Disponível em: http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/19340/1/2015_FelipeCasteloBrancoMedeiros.pdf.
PRITCHARD, Duncan. The Epistemology of Testimony. Philosophical Issues, vol. 14, Epistemology, 2004. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/j.1533-6077.2004.00033.x.
STRATHMAN, H. martys, martyrion, martyria. In: KITTEL, Gerhard. Theological Dictionary of the New Testament. Grand Rapids: Eerdmans, 1967, Vol. IV.
TRITES, Allison A. The Idea of Witness in the Synoptic Gospels. Some Juridical Considerations. Themelios, n. 5, 1968. Disponível em: https://biblicalstudies.org.uk/pdf/ifes/5-3_trites.pdf Acesso em: 19 out. 2017.