A TRINDADE E A GLÓRIA DO ESTADO MODERNO uma análise a partir dos acontecimentos de junho de 2013

Main Article Content

Daniel Santos Souza

Resumo

Este artigo realiza uma análise político-teológica do estado a partir dos acontecimentos de junho de 2013. Esses eventos foram decisivos para a compreensão da política brasileira, pois colocaram em questão os modos de vida esperados em uma dinâmica de cidade e, também, os modos de organização da política em sua democracia liberal. O ponto decisivo desse texto é apresentar a relação entre dois polos do estado (soberania e biopolítica) como uma determinada teologia trinitária, algo evidenciado pelo filósofo Giorgio Agamben. A hipótese é que junho desvela essa atuação da máquina governamental. Com essa perspectiva, metodologicamente, esse artigo analisa, desde as provocações agambeanas, algumas grafias – como pichações, cartazes e faixas – feitas durante esse período. Como estrutura, esse artigo está dividido em algumas partes: i) uma introdução que retoma a técnica como uma problemática de junho de 2013; ii) a investigação das relações entre trindade e o estado moderno; iii) a apresentação da inoperosidade no centro da máquina governamental do estado; e iv) a relação entre as tentativas de encobrimento do vazio anárquico do estado, por meio dos dispositivos aclamatórios, e os rastros de junho potentes em sua capacidade inoperosa.

Article Details

Como Citar
SOUZA, D. S. A TRINDADE E A GLÓRIA DO ESTADO MODERNO. INTERAÇÕES, v. 15, n. 1, p. 121-142, 10 jul. 2020.
Seção
ARTIGOS
Biografia do Autor

Daniel Santos Souza, UFABC

Doutor (2019) e Mestre em Ciências da Religião (2013), Licenciado em Filosofia (2011) e Bacharel em Teologia (2010) pela Universidade Metodista de São Paulo (UMESP). Participa do Grupo de Pesquisa: Perspectivas Críticas da Filosofia Moderna e Contemporânea (UFABC/CNPq). Atualmente, é Pesquisador Doutor Colaborador na Universidade Federal do ABC (UFABC), em uma investigação de pós-doutorado sobre as formas-de-vida nas ocupações de moradia no centro da cidade de São Paulo.

Referências

AGAMBEN, G. Meios sem fim: notas sobre a política. Belo Horizonte: Autêntica editora, [1996] 2015.

AGAMBEN, G. O aberto: o homem e o animal. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, [2002] 2013.
AGAMBEN, G. O reino e a glóriaa: uma genealogia teológica da economia e do governo. São Paulo: Boitempo, [2007] 2011.
AGAMBEN, G. O uso dos corpos: Homo Sacer, IV, 2. São Paulo: Boitempo, [2014] 2017.
ANDRÉS, Roberto. Grafias de junho. Projeto colaborativo para reconstituição da memória histórica. 2013. Disponível em: https://www.grafiasdejunho.org/principal. Acesso em: 20 maio 2020.
ARANTES, Paulo. O novo tempo do mundo. São Paulo: Boitempo, 2014.
ALCKMIN, G. Entrevista cedida em Coletiva de Imprensa. In: BALZA, Guilherme. Ao anunciar que tarifa volta a R$ 3, Alckmin e Haddad falam em “sacrifício” e corte de investimentos. 2013. UOL, São Paulo, 19 jun. 2013. Disponível em: http://twixar.me/R4CK. Acesso em: 29 maio 2020.
BOLTON, Rodrigo K. O impensado como potência e a desativação das máquinas de poder. Cadernos IHU Ideias. São Leopoldo, ano 15, v. 15, n. 258, 2017.
CAROLINA, Aurea. Juventude negra pauta governo sociedade. Secretaria Nacional de Juventude – SNJ. Disponível em: http://twixar.me/cyxK. Acesso em 29 maio 2020.
CARVALHO, Laura. Valsa Brasileira: do boom ao caos econômico. São Paulo: Todavia, 2018.
CASTRO, Edgardo. Introdução a Giorgio Agamben: uma arqueologia da potência. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.
CHIGNOLA, Sandro. Tecnicização da decisão política é uma das assinaturas da contemporaneidade. Em: IHU-UNISINOS. São Leopoldo, ano XVII, n. 505, p. 31-36, maio, 2017.
COMITÊ INVISÍVEL. Aos nossos amigos: crise e insurreição. São Paulo: N-1 Edições, 2016.
DELEUZE, Gilles. Conversações. São Paulo: Editora 34, 2013.
DICKINSON, Colby. A glória como arcano central do poder e os vínculos entre oikonomia, governo e gestão. Cadernos Teologia Pública. São Leopoldo, ano XIV, v. 14, n. 127, 2017.
FOUCAULT, Michel. História da sexualidade – a vontade de saber. v. 1. São Paulo: Editora Paz & Terra, 2017.
FRASER, Kyle A. The Contested Boundaries of Magic and Religion in the Late Pagan Monotheism. In: Magic, Ritual, and Witchcraft, v. 4, n. 2, 2009, p. 131-151. Disponível em: https://muse.jhu.edu/article/364065. Acesso em: 29 maio 2020.
GIACOIA JUNIOR, Oswaldo. Por uma ética da vergonha e do resto. São Paulo: N-1 Edições, 2018.
HADDAD, F. Entrevista cedida em Coletiva de Imprensa. In: BALZA, Guilherme. Ao anunciar que tarifa volta a R$ 3, Alckmin e Haddad falam em 'sacrifício' e corte de investimentos. 2013. UOL, São Paulo, 19 jun. 2013. Disponível em: http://twixar.me/R4CK. Acesso em: 29 maio 2020.
HADDAD, Fernando. Vivi na pele o que aprendi nos livros. In: Revista Piauí. São Paulo, n. 129, jun. 2017.
JUDENSNAIDER, Elena; LIMA, Luciana; POMAR, Marcelo & ORTELLADO, Pablo. Vinte centavos: a luta contra o aumento. São Paulo: Veneta, 2013.
LEXICON. Dicionário teológico enciclopédico. São Paulo: Edições Loyola, 2003.
LUDUEÑA, Fabián. Nenhum sistema político funciona sem o elemento glorioso. In: IHU-UNISINOS. São Leopoldo, ano XVII, n. 505, p. 61-65, maio 2017.
MORAES, Alana et al (org.). Junho: potência das ruas e das redes. São Paulo: Friedrich Ebert Stiftung (FES) Brasil, 2014.
MOUFFE, Chantal. Democracia, cidadania e a questão do pluralismo. Política & Sociedade. Florianópolis, v. 3, n. 03, p. 11-26, out. 2003.
NASCIMENTO, Daniel Arruda. Umbrais de Giorgio Agamben: para onde nos conduz o homo sacer? São Paulo: Editora LiberArs, 2014.
RIEGER, Joerg. Cristo e Império: de Paulo aos tempos pós-coloniais. São Paulo: Paulus, 2009.
ROLNIK, Sueli. A hora da micropolítica. Coleção Pandemia. São Paulo: N-1 Edições, 2016.
ROUSSEFF, Dilma. Pronunciamento da presidenta Dilma Rousseff. Editado por Fábio Massalli. EBC. 27 jun. 2013. Disponível em: http://twixar.me/X4CK. Acesso em: 29 maio 2020.
RUIZ, Castor Bartolomé. Giorgio Agamben, liturgia (e) política: por que o poder necessita da glória? Revista Brasileira de Estudos Políticos. Belo Horizonte, n. 108, p. 185-213, jan./jun. 2014.


SALVADOR, Yuri. Jornada de lutas 2014. A força da juventude nas ruas! UNIÃO NACIONAL DOS ESTUDANTES, 15 abr. 2014. Disponível em: https://une.org.br/2014/04/jornada-de-lutas-2014-a-forca-da-juventude-nas-ruas/. Acesso em: 30 maio 2020.
SCHMITT, Carl. Teología Política. Madri: Editorial Trotta, 2009.
SEREJO, Lincoln Sales. Angelologia e burocracia na obra O reino e a glória de Giorgio Agamben. Rev. Interd. em Cult. e Soc. (RICS), São Luís, v. 4, n. especial - dossiê̂ temático. p. 213-224. 2018.
SOUSA, Euzébio Jorge Silveira de. Relação complementar entre democracia participativa e representativa: manifestações de junho de 2013 e a aprovação do estatuto da juventude. Programa de formação de conselheiros nacionais – Democracia participativa, república e movimentos sociais. Belo Horizonte: UFMG, 2014.
SOUZA, Daniel Santos. A revolta da ineficiência: os acontecimentos de junho de 2013 no Brasil e suas destituições político-teológicas. 2019. 349 p. Tese (Doutorado em Ciências da Religião) – Universidade Metodista de São Paulo, São Bernardo do Campo.