NOTAS SOBRE O CONCEITO DE VERDADE pistas para a teologia

Main Article Content

Eduardo Rodrigues da Cruz

Resumo

Descrevem-se aqui as teorias tradicionais de verdade, desde aquela por correspondência até a por consenso. O construtivismo é então apresentado como alternativa para as ciências humanas, que apresentam um caráter emancipatório, e isto entra na composição de seu conceito de verdade. No caso da religião, a verdade é mais experiencial, mas a teologia precisa seguir os critérios de verdade das demais ciências. Assim, a crítica dos neo-ateus não se sustenta, pois abordam a religião só em seu conteúdo cognitivo. Eles têm sua razão, no entanto, dada a propensão humana ao engano e ao autoengano (ilusão), os quais, no entanto, se referem a todas as esferas de conhecimento. A teologia também tem de se questionar sobre que tipo de evidências empíricas dispõe para embasar suas afirmações. A pluralidade religiosa (e, portanto, de reivindicações de verdade) surge como problema, mas o entendimento das raízes comuns da religião, fornecido pelas ciências evolutivas, fornece uma base importante para se lidar com o problema. Em resumo, o que se apresenta aqui é um esboço de defesa do realismo em teologia.

Article Details

Como Citar
CRUZ, E. R. DA. NOTAS SOBRE O CONCEITO DE VERDADE. INTERAÇÕES, v. 15, n. 2, p. 470-477, 27 nov. 2020.
Seção
DEBATES E COMUNICAÇÕES
Biografia do Autor

Eduardo Rodrigues da Cruz, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP)

Doutor em Teologia pela Universidade de Chicago (1987). Mestre em Física pela Universidade de São Paulo - USP (1978). Graduado em Física experimental na USP (1973). É professor titular do Programa de Pós-graduação do Departamento de Ciência da Religião da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, Brasil. Tem experiência na área de Teologia e Ciência da Religião, com ênfase em Teologia Fundamental, história e filosofia da ciência, atuando principalmente nos seguintes temas: Fundamentos da Ciência da Religião, ciência e religião, cultura científica moderna, ambivalência do progresso científico, ciência no século XX e criação. Brasil. ORCID: 0000-0002-4921-753x. E-mail: erodcruz@pucsp.br.

Referências

BIEVER, Celeste. Happy birthday boson! Six outstanding Higgs mysteries. New Scientist, 4 July 2013. Disponível em: https://www.newscientist.com/article/dn23810-happy-birthday-boson-six-outstanding-higgs-mysteries. Acesso em: 15 set. 2020.

BROCKMAN, J. (org.). Grandes ideias impossíveis de provar. Lisboa: Tinta da China, 2008.

BURKERT, W. A criação do sagrado. Lisboa: Edições 70, 2001.

CONSTRUTIVISMO. Wikipédia: a enciclopédia livre. [Flórida: Wikimedia Foundation, 2020]. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Construtivismo. Acesso em: 15 set. 2020.

CRUZ, E. R. A epistemologia da Ciência da Religião: elementos para uma visão deflacionária. Interações, Belo Horizonte, Brasil, v. 13. n. 23, p. 14-22, jan./jul. 2018.

DUTRA, L. H. A. Introdução à Teoria da Ciência. 3. ed. Florianópolis: Editora da UFSC, 2009.

GLEISER, M. Sobre a realidade. Folha de São Paulo, 09 jun. 2013. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/marcelogleiser/2013/06/1291952-sobre-a-realidade.shtml. Acesso em 15 set. 2020.

GLEISER, M. A ilha do conhecimento: os limites da ciência e a busca por sentido. Rio de Janeiro: Record, 2014.

HEBREUS. In: A BÍBLIA DE JERUSALÉM. Nova Edição. São Paulo: Paulus, 2002.

JOÃO. In: A BÍBLIA DE JERUSALÉM. Nova Edição. São Paulo: Paulus, 2002.

KHECHMOUNE, W. Blog. Oct. 15, 2013. Disponível em: https://plus.google.com/113376504911684406239/posts/Pd8sLXT2KEN. Acesso em: 15 jun. 2014. [conteúdo retirado da web, não mais disponível].

McMULLIN, E. Discernindo caminhos em Filosofia da Ciência: o contributo de meio século de estudos (1950-2000). Revista Portuguesa de Filosofia, v. 63, n. 1-3, p. 67-91, 2007.

VERDADE. In: Wikipédia, a enciclopédia livre. [Flórida: Wikimedia Foundation, 2020]. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Verdade. Acesso em: 15 set. 2020.

ZIMAN, J. Conhecimento confiável. Campinas: Ed. Papirus, 1996.