TEOLOGIA E PENSAMENTO DECOLONIAL em busca de novos lugares para a enunciação da fé cristã

Main Article Content

Carlos Alberto Motta Cunha

Resumo

No Brasil, o diálogo entre a teologia e o pensamento decolonial está restrito aos ambientes acadêmicos de forma tímida e embrionária. As teorias da decolonialidade carecem de aprofundamento por parte de uma teologia que almeje diálogos pertinentes para a construção de outro mundo possível. Neste artigo, propomos alimentar ainda mais esta troca de saberes. O pensamento decolonial ensina que não basta ter consciência dos mecanismos de colonização do poder, do ser e do saber. É preciso avançar e propor um fazer decolonial capaz de efetivar uma libertação genuína. Impulsionado por esta tarefa, o texto a seguir é fruto do encontro entre a teologia e o pensamento decolonial com o objetivo de propor novos lugares para a enunciação da fé cristã. O artigo se divide em dois momentos. No primeiro, fazemos provocações à teologia disposta ao diálogo com outras áreas do conhecimento, visando uma tarefa pública e pertinente. No segundo, avançamos das provocações para diálogos fecundos entre a decolonialidade e o fazer teológico. O momento é marcado pela consciência dos espaços marginalizados e por rupturas epistemológicas que desafiam a teologia.

Article Details

Como Citar
CUNHA, C. A. M. TEOLOGIA E PENSAMENTO DECOLONIAL. INTERAÇÕES, v. 16, n. 1, p. 132-148, 30 mar. 2021.
Seção
ARTIGOS
Biografia do Autor

Carlos Alberto Motta Cunha, Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia

Doutor em Teologia Sistemática pela FAJE, professor adjunto no Instituto de Filosofia e Teologia Dom João Resende Costa da PUC Minas. Brasil. ORCID: 0000-0002-1981-7120. E-mail: carlosamc04@gmail.com.

Referências

ACOSTA, Alberto. O Bem Viver: uma oportunidade para imaginar outros mundos. Rio de Janeiro: Autonomia Literária; Ed. Elefante, 2016.

BALLESTRIN, Luciana. América Latina e o giro decolonial. Revista Brasileira de Ciência Política, n. 11, p. 89-117, Brasília, maio-ago. 2013.

BHABHA, Homi. O local da cultura. 2.ed. Belo Horizonte: UFMG, 2013.

BOFF, Clodovis. Teoria do método teológico. 3.ed. Petrópolis: Vozes, 1998.

CASTRO-GÓMEZ, Santiago. Ciências sociais, violência epistêmica e o problema da “invenção do outro”. In: A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas. Buenos Aires: CLACSO, Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales, 2005.

CONCÍLIO VATICANO II. Constituição Pastoral Gaudium et Spes sobre a Igreja no Mundo Actual. 07 dez. 1965. Roma: Vaticano, 1965b. Disponível: http://www.vatican.va/archive/hist_councils/ii_vatican_council/documents/vat-ii_const_19651207_gaudium-et-spes_po.html. Acesso em: 21 de jan. 2020.

DUSSEL, Enrique. Descolonização epistemológica da teologia. Concilium. Revista Internacional de Teologia. Petrópolis: Vozes, n. 350, p. 179-190, 2013.

DUSSEL, Enrique. Método para uma filosofia da libertação: superação analética da dialética hegeliana. São Paulo: Loyola, 1986.

GEFFRÉ, Claude. Como fazer teologia hoje: hermenêutica teológica. São Paulo: Paulinas, 1989.

GIDDENS, Anthony. As consequências da modernidade. São Paulo: Unesp, 1991.

GUTIÉRREZ, Gustavo. Teologia da libertação: perspectivas. São Paulo: Loyola, 2000.

ENUNCIAÇÃO. In: HOUAISS, Antônio. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001. p. 1.171.

LEMINSKI, Paulo. Jesus A.C. São Paulo: Brasiliense, 1984.

LIBANIO, João Batista. Teologia da libertação: roteiro didático para um estudo. São Paulo: Loyola, 1987.

LÖWY, Michael. O que é cristianismo da libertação?: religião e política na América Latina. São Paulo: Editora Fundação Perceu Abramo: Expressão Popular, 2016.


MALDONADO-TORRES, Nelson. The topology of being and the geopolitics of knowledge: modernity, empire and coloniality. Oct. 2010. Disponível em: http://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/1360481042000199787. Acesso em: 20 fev. 2020.

MATEUS. In: BÍBLIA de Estudo Almeida: revista e atualizada. São Paulo: Sociedade Bíblica do Brasil, 1999.

MIGNOLO, Walter. Delinking: the rethoric of modernity, the logic of coloniality and the grammar of de-coloniality. In: Cultural studies, n. 21, v. 2 and 3, Routledge, 2007a.

MIGNOLO, Walter. Desobediência epistêmica: a opção descolonial e o significado de identidade em política. Cadernos de Letras da UFF: Dossiê: literatura, língua e identidade, n. 34, p. 287-324, 2008.

MIGNOLO, Walter. Habitar la frontera: sentir y pensar la descolonialidad. Antología, 1999-2014. Barcelona/México: CIDOB/UACJ, 2015.

MIGNOLO, Walter. Histórias locais/Projetos globais: colonialidade, saberes subalternos e pensamento liminar. Belo Horizonte: UFMG, 2003.

MIGNOLO, Walter. La idea de América Latina: la herida colonial y la opción decolonial. Barcelona: Gedisa, 2007b.

MIGNOLO, Walter; PINTOS, Júlio Roberto de Souza. A modernidade é de fato universal?: reemergência, desocidentalização e opção decolonial. In: Revista Civitas, Porto Alegre, v. 15, n. 3, p. 381-402, jul./set. 2015.

MOLTMANN, Jürgen. Trindade e Reino de Deus: uma contribuição para a teologia. Petrópolis: Vozes, 2000.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidad y modernidad-racionalidad. In: PALERMO, Zulma; QUINTERO, Pablo (coord.). Aníbal Quijano: textos de fundación. Buenos Aires: Ediciones del Signo, 2016.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Pela mão de Alice: o social e o político na pós-modernidade. 7. ed. Porto: Edições Afrontamento, 1999.

SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (org.). Epistemologias do sul. São Paulo: Cortez, 2010.

SCANNONE, Juan Carlos. Hacia una comprensión y realización integrales del Bien Común. Disponível em: http://faje.edu.br/simposio2017/conferencias.php. Acesso em 5 fev. 2020.

SEGUNDO, Juan Luis. Libertação da teologia. São Paulo: Loyola, 1978.

SOUZA, Daniel. Por trilhas e rumos ecumênicos: alguns caminhos para o diálogo inter-religioso. In: SOUZA, Daniel; PEREIRA, Nancy Cardoso. Ecumenismo: um grão de salvação escondido nas coisas do mundo. São Paulo: Fonte Editorial, 2014.

TILLICH, Paul. Teologia sistemática. 5. ed. rev. São Leopoldo: Sinodal, 2005.

WALSH, Catherine. Interculturalidad, Estado, Sociedad: luchas (de)coloniales de nuestra época. Quito: Universidad Andina Simón Bolivar, Ediciones Abya-Yala, 2009.