Nomenclatura numérica dos canoeiros do Juruena: contagem Rikbaktsa pelos dedos das mãos

  • José Roberto Linhares de Mattos Universidade Federal Fluminense
  • Geraldo Aparecido Polegatti Instituto Federal de Mato Grosso

Resumo

Na maioria das culturas indígenas, a contagem está associada aos dedos das mãos e às vezes, também, aos dedos dos pés para o cômputo de quantidades maiores que dez. Entretanto, as culturas indígenas têm diferenças na forma de associar a quantidade contada com a quantidade de dedos utilizados. Essas diferenças ficam mais visíveis ao analisarmos o nome que cada etnia utiliza, em sua língua materna, para descrever a quantidade computada. Nesta pesquisa, à luz da Etnomatemática, foi analisada a nomenclatura no processo de contagem do povo Rikbaktsa para se compreender o seu raciocínio lógico na forma de identificar quantidades de animais caçados, de peixes pescados, de artefatos, bem como a quantidade deles próprios. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, do tipo etnográfico, em que os instrumentos metodológicos utilizados foram observação participante, entrevistas, rodas de conversa e consulta bibliográfica. Os resultados encontrados apontam para um saber/fazer etnomatemático próprio que deve ser explorado nas aulas da disciplina Matemática na Educação Escolar Indígena Rikbaktsa

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
23-12-2021
Seção
Artigos