JUSTIÇA RESTAURATIVA NA EDUCAÇÃO: ACOLHIMENTO E RESPONSABILIDADE:

singularidade e diversidade

  • Leandro Augusto de Paula Santos

Resumo

A  proposta da Justiça Restaurativa na educação partiu de uma necessidade de contemplar um tratamento dos conflitos ocorridos no ambiente escolar de uma forma mais humanizada e eficaz, somando-se às estratégias já realizadas e/ou aperfeiçoando-as. A ideia pode ser traduzida, nas suas feições gerais, em ações preventivas, educativas, de auxílio e de informação que objetivam à pacificação social por meio da inserção e identificação do estudante com a comunidade escolar da qual é integrante, objetivando, assim, o fortalecimento dos vínculos sociais e afetivos. Os primeiros resultados observados no projeto “Nossa Escola, Nossas Soluções: Justiça restaurativa na Educação”, desenvolvido na Escola Municipal Dom Bosco desde o início de 2019, em Belo Horizonte/MG, apontam para o fortalecimento dessa rede de apoio por meio da qual estudantes, pais, responsáveis, professores e funcionários se identificam e confiam as suas demandas, elegendo o diálogo e a construção coletiva como forma privilegiada de busca para a solução dos problemas experimentados. Com uma metodologia pautada em atividades que procuram fortalecer valores que contribuem para uma convivência leal e respeitosa, a comunidade escolar é introduzida em uma educação jurídica séria e comprometida, que alia de forma sólida o exercício dos direitos ao cumprimento dos deveres correspondentes, chamando todos ao acolhimento e à responsabilidade.

Publicado
14-12-2020