Como criar o caos social: mídia e políticas sobre drogas

Carolina dos Reis, Daniel Dall'Igna Ecker, Vera Lucia Pasini, Samantha Torres

Resumo


O presente artigo apresenta uma análise de publicações veiculadas na mídia gaúcha sobre álcool e outras drogas. Foram selecionadas publicações de maio a junho de 2009 de três jornais impressos de grande circulação pelo estado do Rio Grande do Sul, sendo eles: Correio do Povo, Jornal do Comércio e Zero Hora. Em um primeiro momento, visibiliza-se os contextos em que emergem as entrevistas a partir dos gêneros jornalísticos, sua distribuição, localização, autoria, uso de imagens e fontes citadas. Em seguida, são apresentados os conteúdos das reportagens que foram organizados em 5 (cinco) principais categorias, são elas: 1) Drogas: “entidades” de vida própria; 2) Usuários: perigosos; 3) Quem fala na mídia: os “especialistas”; 4) Campos de saber; 5) Soluções apontadas: higienismo e repressão. Ao final, apontam-se possíveis reflexões sobre a importância do diálogo entre Psicologia e Mídia na busca por instituir práticas de cuidado integral aos usuários de drogas.

Palavras-chave


Políticas de drogas; Mídia; Processos de Subjetivação.

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, G. Estado de Excessão. SP: São Paulo, Boitempo, 2007.

BRASIL. Ministério da Saúde. A Política do Ministério da Saúde para a atenção integral a usuários de álcool e outras drogas. Série B. textos básico de saúde. DF: Brasília, 2003.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 1.059/GM de 4 de julho de 2005. Destina incentivo financeiro para o fomento de ações de redução de danos em Centros de Atenção Psicossocial para o Álcool e outras Drogas - CAPSad - e dá outras providências. DF: Brasília, 2005.

COIMBRA, C. Mídia e Produção de Modos de Existência. Psicologia Teoria e Pesquisa. 17(1): 001-004. Jan – Abr, 2001.

COIMBRA, C. Operação Rio: o mito das classes perigosas um estudo sobre a violência urbana, a mídia impressa e os discursos de segurança pública. Oficina do Autor, RJ: Niterói, 2001a.

FISCHER, R. M. B. O dispositivo pedagógico da mídia: modos de educar na (e pela) TV. Revista Educação e Pesquisa. 28 (1): 151-162, jan-jun, 2002. http://dx.doi.org/10.1590/S1517-970220020 00100011.

FOUCAULT, M. História da Sexualidade II: O uso dos prazeres (1984), tradução de Maria Tereza Albuquerque e J. A. Guilhon Albuquerque, 13ªed.. Rio de Janeiro: Edições Graal. 2009.

NJAINE, K; MINAYO, M. C. de S. A violência na mídia como tema da área da saúde pública: revisão da literatura. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 9, n. 1, 2004. http://dx.doi.org/10.15 90/S14 13-81232004000100020.

REIS, C. (Falência Familiar) + (Uso de Drogas) = Risco e Periculosidade: a naturalização jurídica e psicológica de jovens com medida de internação compulsória. Porto Alegre. 132p. Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social e Institucional. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2012.

RIBEIRO, T. W; PERGHER, N. K; TOROSSIAN, S. D. Drogas e adolescência: uma análise da ideologia presente na mídia escrita destinada ao grande público. Psicol. Reflex. Crit., Porto Alegre, v. 11, n. 3, 1998. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-79721998000300003.

SANTOS, L. (Org.). Outras palavras sobre o cuidado de pessoas que usam drogas. Conselho Regional de Psicologia do Rio Grande do Sul: Porto Alegre, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Esta obra está licenciada sob uma Creative Commons Attribution 4.0 International license.

 

Redes Sociais:

Filiada:

 

Indexadores:

 



 

 

Apoio:

 

 

Logotipo do IBICT