PROCESSO DE REGULARIZAÇÃO DE MORADIAS: levantamento topográfico e processamento dos dados - Região do Barreiro

  • Dayana Corrêa de Oliveira Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais/Acadêmica do curso de Engenharia Civil. PUC Minas, Unidade Barreiro, 2017. Belo Horizonte/MG.
  • Bruna Soares Silva Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
  • Silvia Carolina Martins Braga Maciel Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais/Professora Msc. do Instituto Politécnico, Departamento de Engenharia Civil da PUC Minas, Unidade Barreiro. Belo Horizonte/MG.
  • Everaldo Bonaldo Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais/Coordenador do projeto de extensão - A engenharia e a rede social do Barreiro: tecnologia social a serviço dacomunidade do curso de Engenharia Civil da PUC Minas, Unidade Barreiro. Belo Horizonte/MG.
  • Aline de Araújo Nunes Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais/Coordenadora de extensão do curso de Engenharia Civil da PUC Minas, Unidade Barreiro. Belo Horizonte/MG.
Palavras-chave: Regularização de moradias, Topografia, Processo cadastral, Planta, Memorial descritivo, Urbanismo

Resumo

A extensão universitária é responsável por um conjunto de práticas inter e multidisciplinares. O projeto “A Engenharia e a Rede Social do Barreiro: tecnologia social a serviço da comunidade”, desenvolvido principalmente por alunos do curso de Engenharia Civil, da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - Unidade Barreiro, tem o propósito de atender as demandas solicitadas pelos moradores da região do Barreiro, relativas à regularização de moradias e introduzir o estudante à realidade que o cerca, promovendo o desenvolvimento dos saberes teóricos aliados a prática. Sabe-se que, obter um imóvel regularizado, pode ser por vezes, uma tarefa complexa que requer investimentos e tempo, elementos que o cidadão muitas vezes não possui. O presente artigo tem como objetivo explanar as etapas do projeto em questão, tais como, levantamento de dados topográficos, processo cadastral e memorial descritivo, que devem ser realizados para alcançar a regularização da moradia, auxiliando a comunidade carente da região.

Biografia do Autor

Dayana Corrêa de Oliveira, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais/Acadêmica do curso de Engenharia Civil. PUC Minas, Unidade Barreiro, 2017. Belo Horizonte/MG.

Bolsista na PUC Minas (PROBIC/FAPEMIG). Extensionista voluntária na PUC Minas. Estudante de Engenharia Civil na PUC Minas (9º Período). Bacharel em Engenharia de Agrimensura pela FEAMIG (2012). Técnica em Estradas pelo CEFET-MG (2007). Mais de cinco anos de experiência na área de projetos e trabalhos topográficos. 

Bruna Soares Silva, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Extensionista na PUC Minas. Estudante de Engenharia Civil na PUC Minas (10º Período).

Silvia Carolina Martins Braga Maciel, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais/Professora Msc. do Instituto Politécnico, Departamento de Engenharia Civil da PUC Minas, Unidade Barreiro. Belo Horizonte/MG.

Professora Msc. do Instituto Politécnico, Departamento de Engenharia Civil da PUC Minas, Unidade Barreiro.

Everaldo Bonaldo, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais/Coordenador do projeto de extensão - A engenharia e a rede social do Barreiro: tecnologia social a serviço dacomunidade do curso de Engenharia Civil da PUC Minas, Unidade Barreiro. Belo Horizonte/MG.

Coordenador do curso de Engenharia Civil - PUC Minas/Barreiro

Aline de Araújo Nunes, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais/Coordenadora de extensão do curso de Engenharia Civil da PUC Minas, Unidade Barreiro. Belo Horizonte/MG.

Professora Msc. do Instituto Politécnico, Departamento de Engenharia Civil da PUC Minas, Unidade Barreiro.

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 13133 - Execução de levantamento topográfico: elaboração. Rio de Janeiro: ABNT, 1994.

BRASIL. Ministério das Cidades. Regularização Fundiária Urbana: como aplicar a Lei Federal nº 11.977/2009 - Ministério das Cidades. 2013. 56f. Secretaria Nacional de Acessibilidade e Programas Urbanos e Secretaria Nacional de Habitação, Brasília, 2013.

GEOSIURBE. SIURBE-BHMap (online). Belo Horizonte. Disponível em: <http://geosiurbe.pbh.gov.br/webmap/>. Acesso em: 16 nov. 2017.

GONÇALVES, Norma Lacerda; ZANCHETI, Sílvio Mendes. Conservação urbana e regularização fundiária de assentamentos populares. Revista Brasileira de Gestão Urbana, v. 6, n. 3, p.323-337, set/dez. 2014.

HENNINGTON, Élida Azevedo. Acolhimento como prática interdisciplinar

num programa de extensão universitária. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 21, n. 1, p.256-265, jan/fev. 2005.

PAIVA, João Pedro Lamana. Regularização fundiária de interesse social. São Paulo. Coleção Cadernos: IRIB, 2012.

PLANTAS ONLINE. Consultas a plantas de parcelamento do solo (CP). Belo Horizonte. Disponível em: <http://portal5.pbh.gov.br/plantacp/inicio.do>. Acesso em: 16 nov. 2017.

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS. Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) 2012 a 2016. Belo Horizonte, 2011.

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS. Política de extensão universitária da PUC Minas. 2006. 24 f. Pró-reitoria de Extensão, Belo Horizonte, 2006.

TULER, Marcelo; SARAIVA, Sérgio. Fundamentos de topografia. Belo Horizonte: Bookman, 2014.

Publicado
14-08-2019