PROCESSO DE REGULARIZAÇÃO DE MORADIAS: levantamento topográfico e processamento dos dados - Região do Barreiro

Dayana Corrêa Corrêa de Oliveira, Bruna Soares Soares Silva, Sílvia Martins Carolina Martins Braga, Everaldo Bonaldo Bonaldo, Aline Araújo de Araújo Nunes

Resumo


A extensão universitária é responsável por um conjunto de práticas inter e multidisciplinares. O projeto “A Engenharia e a Rede Social do Barreiro: tecnologia social a serviço da comunidade”, desenvolvido principalmente por alunos do curso de Engenharia Civil, da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais - Unidade Barreiro, tem o propósito de atender as demandas solicitadas pelos moradores da região do Barreiro, relativas à regularização de moradias e introduzir o estudante à realidade que o cerca, promovendo o desenvolvimento dos saberes teóricos aliados a prática. Sabe-se que, obter um imóvel regularizado, pode ser por vezes, uma tarefa complexa que requer investimentos e tempo, elementos que o cidadão muitas vezes não possui. O presente artigo tem como objetivo explanar as etapas do projeto em questão, tais como, levantamento de dados topográficos, processo cadastral e memorial descritivo, que devem ser realizados para alcançar a regularização da moradia, auxiliando a comunidade carente da região.

Palavras-chave


Regularização de moradias; Topografia; Processo cadastral; Planta; Memorial descritivo; Urbanismo

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 13133 - Execução de levantamento topográfico: elaboração. Rio de Janeiro: ABNT, 1994.

BRASIL. Ministério das Cidades. Regularização Fundiária Urbana: como aplicar a Lei Federal nº 11.977/2009 - Ministério das Cidades. 2013. 56f. Secretaria Nacional de Acessibilidade e Programas Urbanos e Secretaria Nacional de Habitação, Brasília, 2013.

GEOSIURBE. SIURBE-BHMap (online). Belo Horizonte. Disponível em: . Acesso em: 16 nov. 2017.

GONÇALVES, Norma Lacerda; ZANCHETI, Sílvio Mendes. Conservação urbana e regularização fundiária de assentamentos populares. Revista Brasileira de Gestão Urbana, v. 6, n. 3, p.323-337, set/dez. 2014.

HENNINGTON, Élida Azevedo. Acolhimento como prática interdisciplinar

num programa de extensão universitária. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 21, n. 1, p.256-265, jan/fev. 2005.

PAIVA, João Pedro Lamana. Regularização fundiária de interesse social. São Paulo. Coleção Cadernos: IRIB, 2012.

PLANTAS ONLINE. Consultas a plantas de parcelamento do solo (CP). Belo Horizonte. Disponível em: . Acesso em: 16 nov. 2017.

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS. Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) 2012 a 2016. Belo Horizonte, 2011.

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS. Política de extensão universitária da PUC Minas. 2006. 24 f. Pró-reitoria de Extensão, Belo Horizonte, 2006.

TULER, Marcelo; SARAIVA, Sérgio. Fundamentos de topografia. Belo Horizonte: Bookman, 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Esta obra está licenciada sob uma Creative Commons Attribution 4.0 International license.

 

Redes Sociais:

Filiada:

 

Indexadores:

 



 

 

Apoio:

 

 

Logotipo do IBICT