AVALIAÇÃO DA ADEQUAÇÃO NUTRICIONAL E RESTO INGESTÃO EM UMA UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO NA REGIÃO DE BELO HORIZONTE/MG.

Maitê Costa da Silva, Karine Juliana Leite Melo e Souza, Juliana Cristina Câmara Lopes, Nísia Andrade Villela Dessimoni Pinto, Márcia Regina Pereira Monteiro

Resumo


O objetivo do presente trabalho foi descrever a adequação do consumo alimentar de alunos pertencentes a uma creche filantrópica do município de Belo Horizonte - MG. Para tanto, foi avaliado cardápio oferecido pela Unidade Produtora de Refeições- UPR da creche durante sete dias.  Para a análise da rejeição, com o valor de resto per capita, foi utilizado o teste de aceitabilidade instituído pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar- PNAE e para a avaliação da adequação do consumo alimentar foram anotadas todas as refeições servidas no dia e esses foram avaliados por meio do Software de Nutrição – Dietbox®. Os dados encontrados foram analisados através do Programa Microsoft Office Excel® 2003. A partir do estudo foi possível observar que na UPR o resto per capita avaliado apresentou 7% de rejeição no almoço e 6% no jantar, sendo que o índice de aceitabilidade deve ser de, no mínimo, 10 % de rejeição. Logo, a unidade se mantém dentro do recomendado. Em relação à disponibilidade média de energia, macronutrientes e micronutrientes não atingiu o recomendado, apresentando em média 50% de adequação ao recomendado pelo PNAE. Em relação à rejeição da alimentação escolar foi possível observar que a creche está dentro do padrão, no entanto, as necessidades nutricionais não foram atingidas. Verificou-se a importância no planejamento adequado dos cardápios e a adoção de práticas de educação nutricional para melhorar a adequação das necessidades nutricionais das crianças e reduzir a rejeição das refeições.

 


Palavras-chave


Consumo de Alimentos. Ingestão Calórica. Creches. Ingestão Alimentar.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, J; CAMPOS, F. Porcionamento, adequação energética e controle do desperdício em uma creche. DEMETRA: Alimentação, Nutrição &;Saúde,7,mar.2013.Disponívelem:http://www.epublicacoes.uerj.br/ojs/index.php/demetra/article/view/3783/3842>.Acesso em: 24 jun. 2016.

BARBOSA, R.M.S.; CARVALHO, C.G.N.; FRANCO, V.C.; SALLES-COSTA, R.; SOARES, E.A. Avaliação do consumo alimentar de crianças pertencentes a uma creche filantrópica na Ilha de Paquetá, Rio de Janeiro, Brasil. Rev. Bras. Saúde Mater. Infant., Recife, v. 6, n. 1, p.127-134, 2006.

CECANE-SC, Manual de orientação para a alimentação escolar na educação infantil, ensino fundamental, ensino médio e na educação de jovens e adultos / [organizadores Francisco de Assis Guedes de Vasconcelos...et al.] – 2. ed. - Brasília: PNAE, 2012. 48 p.; il., grafs., tabs.

FERREIRA, E.N.W.A.; COSTA, E.C.A. Manual de vigilância à saúde em creches e pré-escolas. Campinas: [s.n.], 2001. Disponível em: . Acesso em: 7 jun. 2016.

HIRSCHBRUCH, M.D. Unidades de Alimentação e Nutrição: desperdício de alimentos x qualidade da produção. Hig Aliment. 1998;12(55):12-14.Brasil. Instituto da Cidadania, Projeto Fome Zero e Fundação Djalma Guimarães. Projeto Fome Zero. Uma proposta de segurança alimentar para o Brasil. Terceira versão. [S.l.], 2001. p. 118.

LOPEZ-CARDONA, C.M. Avaliação de o consumo alimentar de crianças frequentadoras de creches municipais de São Paulo. 1999. 74f. Dissertação (Mestrado em Alimentos e Nutrição em Saúde Pública) - Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1999.

MOMM, N.; HÖFELMANN, D.A. Qualidade da dieta e fatores associados em crianças matriculadas em uma escola municipal de Itajaí, Santa Catarina. Cad. Saúde Colet., Rio de Janeiro, 22(1): 32-39. 2014.

MONSSEN, E.R. Iron nutrition and absorption: dietary factors which impact iron availability. J. Am. Diet. Assoc., v. 88, n. 7, p.786-790, 1988.

PEREIRA, G.A.P. Cálcio dietético – estratégias para otimizar o consumo. Rev. Bras. Reumatol., v. 49, n. 2, p. 164-180, 2009.

PHILIPPI, S. T. Tabela de Composição de Alimentos: Suporte para decisão nutricional. 2ª ed. São Paulo: Coronário, 2013. 135 p.

PBH- Prefeitura de Belo Horizonte. Documento de orientação para atendimento de crianças nas instituições de educação infantil da rede municipal de educação e conveniadas com a prefeitura de belo horizonte- aspectos relacionados à alimentação e nutrição. Belo Horizonte, 2014.

RESOLUÇÃO/CD/FNDE Nº 26. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos alunos da educação básica no Programa Nacional de Alimentação Escolar - PNAE. 17 de junho de 2013. BRASIL. Ministério da Educação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação.

RAMALHO, A; PADILHA, P; SAUNDERS, C. Análise crítica de estudos brasileiros sobre defi ciência de vitamina A no grupo materno-infantil. Rev. Paul. Pediatr., v. 26, n. 4, p. 392-399, 2008.

SANTOS, L.M.P; GUBERT, M.B; BORTOLINI, G.A. Consumo alimentar entre crianças brasileiras com idade de 6 a 59 meses. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 28(9):1759-1771, setembro. 2012.

SILVA, GAP; BALABAN, G.; FREITAS, M.M.V; BARACHO, J.D.S; NASCIMENTO, E.M.M. Prevalência de sobrepeso e obesidade em crianças pré-escolares matriculadas em duas escolas particulares de Recife, Pernambuco. Rev. Bras. Saude Mater. Infant., Recife, v. 3, n. 3, p. 323-327, 2003.

SCHILLING, M. Qualidade em nutrição: método de melhorias contínuas ao alcance de indivíduos e coletividades. São Paulo: Varela, 1995. p. 115.

SOUZA, P.M.O. Alimentação do pré-escolar e as estratégias de educação nutricional. Curso de Especialização em Qualidade em Alimentos, Universidade de Brasília, CET. Brasília-DF, 2006.

VAZ, C.S. Restaurantes – controlando custos e aumentando lucros. Brasília, 2006, 196p.

ZACCARELLI, E.M. Avaliação do estado nutricional de crianças e estrutura de funcionamento de creches no município de São Paulo. 2001. 74f. Dissertação (Mestrado em Nutrição Humana Aplicada) – Faculdade de Ciências Farmacêuticas, Faculdade de Economia e Administração, Faculdade de Saúde Pública – Curso de Pós-Graduação Interunidades em Nutrição Humana Aplicada, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.




DOI: https://doi.org/10.5752/P.2236-0603.2019v9n17p51-67

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Esta obra está licenciada sob uma Creative Commons Attribution 4.0 International license.

 

Redes Sociais:

Filiada:

 

Indexadores:

 



 

 

Apoio:

 

 

Logotipo do IBICT