AVALIAÇÃO DA ADEQUAÇÃO NUTRICIONAL E RESTO INGESTÃO EM UMA UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO NA REGIÃO DE BELO HORIZONTE/MG.

  • Maitê Costa da Silva UFMG
  • Karine Juliana Leite Melo e Souza UFMG
  • Juliana Cristina Câmara Lopes UFMG
  • Nísia Andrade Villela Dessimoni Pinto UFVJM
  • Márcia Regina Pereira Monteiro UFMG
Palavras-chave: Consumo de Alimentos. Ingestão Calórica. Creches. Ingestão Alimentar.

Resumo

O objetivo do presente trabalho foi descrever a adequação do consumo alimentar de alunos pertencentes a uma creche filantrópica do município de Belo Horizonte - MG. Para tanto, foi avaliado cardápio oferecido pela Unidade Produtora de Refeições- UPR da creche durante sete dias.  Para a análise da rejeição, com o valor de resto per capita, foi utilizado o teste de aceitabilidade instituído pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar- PNAE e para a avaliação da adequação do consumo alimentar foram anotadas todas as refeições servidas no dia e esses foram avaliados por meio do Software de Nutrição – Dietbox®. Os dados encontrados foram analisados através do Programa Microsoft Office Excel® 2003. A partir do estudo foi possível observar que na UPR o resto per capita avaliado apresentou 7% de rejeição no almoço e 6% no jantar, sendo que o índice de aceitabilidade deve ser de, no mínimo, 10 % de rejeição. Logo, a unidade se mantém dentro do recomendado. Em relação à disponibilidade média de energia, macronutrientes e micronutrientes não atingiu o recomendado, apresentando em média 50% de adequação ao recomendado pelo PNAE. Em relação à rejeição da alimentação escolar foi possível observar que a creche está dentro do padrão, no entanto, as necessidades nutricionais não foram atingidas. Verificou-se a importância no planejamento adequado dos cardápios e a adoção de práticas de educação nutricional para melhorar a adequação das necessidades nutricionais das crianças e reduzir a rejeição das refeições.

 

Biografia do Autor

Maitê Costa da Silva, UFMG
Nutrição, Alimentos, Ciências da Saúde
Karine Juliana Leite Melo e Souza, UFMG
Nutrição, Alimentos, Ciências da Saúde
Juliana Cristina Câmara Lopes, UFMG
Nutrição, Alimentos, Ciências da Saúde
Nísia Andrade Villela Dessimoni Pinto, UFVJM
Nutrição, Alimentos, Ciências da Saúde
Márcia Regina Pereira Monteiro, UFMG
Nutrição, Alimentos, Ciências da Saúd

Referências

ANDRADE, J; CAMPOS, F. Porcionamento, adequação energética e controle do desperdício em uma creche. DEMETRA: Alimentação, Nutrição &;Saúde,7,mar.2013.Disponívelem:http://www.epublicacoes.uerj.br/ojs/index.php/demetra/article/view/3783/3842>.Acesso em: 24 jun. 2016.

BARBOSA, R.M.S.; CARVALHO, C.G.N.; FRANCO, V.C.; SALLES-COSTA, R.; SOARES, E.A. Avaliação do consumo alimentar de crianças pertencentes a uma creche filantrópica na Ilha de Paquetá, Rio de Janeiro, Brasil. Rev. Bras. Saúde Mater. Infant., Recife, v. 6, n. 1, p.127-134, 2006.

CECANE-SC, Manual de orientação para a alimentação escolar na educação infantil, ensino fundamental, ensino médio e na educação de jovens e adultos / [organizadores Francisco de Assis Guedes de Vasconcelos...et al.] – 2. ed. - Brasília: PNAE, 2012. 48 p.; il., grafs., tabs.

FERREIRA, E.N.W.A.; COSTA, E.C.A. Manual de vigilância à saúde em creches e pré-escolas. Campinas: [s.n.], 2001. Disponível em: . Acesso em: 7 jun. 2016.

HIRSCHBRUCH, M.D. Unidades de Alimentação e Nutrição: desperdício de alimentos x qualidade da produção. Hig Aliment. 1998;12(55):12-14.Brasil. Instituto da Cidadania, Projeto Fome Zero e Fundação Djalma Guimarães. Projeto Fome Zero. Uma proposta de segurança alimentar para o Brasil. Terceira versão. [S.l.], 2001. p. 118.

LOPEZ-CARDONA, C.M. Avaliação de o consumo alimentar de crianças frequentadoras de creches municipais de São Paulo. 1999. 74f. Dissertação (Mestrado em Alimentos e Nutrição em Saúde Pública) - Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1999.

MOMM, N.; HÖFELMANN, D.A. Qualidade da dieta e fatores associados em crianças matriculadas em uma escola municipal de Itajaí, Santa Catarina. Cad. Saúde Colet., Rio de Janeiro, 22(1): 32-39. 2014.

MONSSEN, E.R. Iron nutrition and absorption: dietary factors which impact iron availability. J. Am. Diet. Assoc., v. 88, n. 7, p.786-790, 1988.

PEREIRA, G.A.P. Cálcio dietético – estratégias para otimizar o consumo. Rev. Bras. Reumatol., v. 49, n. 2, p. 164-180, 2009.

PHILIPPI, S. T. Tabela de Composição de Alimentos: Suporte para decisão nutricional. 2ª ed. São Paulo: Coronário, 2013. 135 p.

PBH- Prefeitura de Belo Horizonte. Documento de orientação para atendimento de crianças nas instituições de educação infantil da rede municipal de educação e conveniadas com a prefeitura de belo horizonte- aspectos relacionados à alimentação e nutrição. Belo Horizonte, 2014.

RESOLUÇÃO/CD/FNDE Nº 26. Dispõe sobre o atendimento da alimentação escolar aos alunos da educação básica no Programa Nacional de Alimentação Escolar - PNAE. 17 de junho de 2013. BRASIL. Ministério da Educação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação.

RAMALHO, A; PADILHA, P; SAUNDERS, C. Análise crítica de estudos brasileiros sobre defi ciência de vitamina A no grupo materno-infantil. Rev. Paul. Pediatr., v. 26, n. 4, p. 392-399, 2008.

SANTOS, L.M.P; GUBERT, M.B; BORTOLINI, G.A. Consumo alimentar entre crianças brasileiras com idade de 6 a 59 meses. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 28(9):1759-1771, setembro. 2012.

SILVA, GAP; BALABAN, G.; FREITAS, M.M.V; BARACHO, J.D.S; NASCIMENTO, E.M.M. Prevalência de sobrepeso e obesidade em crianças pré-escolares matriculadas em duas escolas particulares de Recife, Pernambuco. Rev. Bras. Saude Mater. Infant., Recife, v. 3, n. 3, p. 323-327, 2003.

SCHILLING, M. Qualidade em nutrição: método de melhorias contínuas ao alcance de indivíduos e coletividades. São Paulo: Varela, 1995. p. 115.

SOUZA, P.M.O. Alimentação do pré-escolar e as estratégias de educação nutricional. Curso de Especialização em Qualidade em Alimentos, Universidade de Brasília, CET. Brasília-DF, 2006.

VAZ, C.S. Restaurantes – controlando custos e aumentando lucros. Brasília, 2006, 196p.

ZACCARELLI, E.M. Avaliação do estado nutricional de crianças e estrutura de funcionamento de creches no município de São Paulo. 2001. 74f. Dissertação (Mestrado em Nutrição Humana Aplicada) – Faculdade de Ciências Farmacêuticas, Faculdade de Economia e Administração, Faculdade de Saúde Pública – Curso de Pós-Graduação Interunidades em Nutrição Humana Aplicada, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.

Publicado
2019-03-11