O PENSAMENTO COMPLEXO E AS TEORIAS DAS ORGANIZAÇÕES: REFLEXÕES

Shirlei da Conceição Domingos Silva, Wanderley Ramalho

Resumo


É possível mostrar que a ciência administrativa evolui pari passu com desenvolvimento dos paradigmas científicos. Este artigo tem exatamente o objetivo de apresentar uma síntese deste fato. Fundamentalmente, este trabalho explicita como as abordagens da ciência administrativa tiveram por substrato epistemológico os paradigmas clássico, sistêmico e complexo resultantes da evolução do próprio pensamento científico.


Palavras-chave


Complexidade; Paradigmas; Teorias da administração

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Rui Otávio Bernardes de; AMBONI, Nério. Teoria geral da administração. 2. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

BAUER, Ruben. Gestão da mudança: caos e complexidade nas organizações. São Paulo: Atlas, 1999.

BERTALANFFY, L Ludwig Von. Teoria geral dos sistemas. Petrópolis: Editora Vozes, 1973.

CAPRA, Fritjof. A teia da vida: uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. São Paulo: Cultrix, 1996.

CAPRA, Fritjof; LUISI, Pier Luigi. A visão sistêmica da vida: uma concepção unificada e suas implicações filosóficas, políticas, sociais e econômicas. São Paulo: Cultrix, 2014.

DEMO, Pedro. Complexidade e aprendizagem: a dinâmica não linear do conhecimento. São Paulo: Atlas, 2002.

FOLLONI, André. Introdução à teoria da complexidade. Curitiba: Juruá, 2016.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GOUVEIA, Tania Almeida; CONTI, Claudio Ramos. Um comparativo entre o positivismo e complexidade como epistemologias na teoria dos custos das transações e na teoria de imersão de redes. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração, Rio de Janeiro, v. 9, n. 1, p. 35-50, jan./mar., 2015.

HEYLIGHEN, Francis. Complexity and self organization. In: Bates, M. J., Maack, M. N. (Eds.). Encyclopedia of Library and Information Sciences, p.1-20, 2008. Disponível em: http://pespmc1.vub.ac.be/Papers/ELIS-complexity.pdf

MAHMOOD, Ziarab; MUHAMMAD, Basharat; BASHIR, Zahid. Review of classical management theories. International Journal of Social Sciences and Education, v.2, n.1, p. 512-522, 2012.

MORGAN, Gareth. Imagens da organização. São Paulo: Atlas, 2009.

MORIN, Edgar. From the concept of system to the paradigm of complexity. Journal of Social and Evolutionary Systems, v. 15, n. 4, p. 371-385, jul., 1992.

MORIN, Edgar. O método I: natureza da natureza. 2. ed. Rio Janeiro: Europa América, 1977.

MORIN, Edgar. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. 9. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.

MORIN, Edgar. Ciência com consciência. 8. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

MORIN, Edgar. Complex thinking for a complex world – about reductionism, disjunction and systemism. Journal Systema: Connecting Matter, Life, Culture and Technology, v. 2, n. 1, p. 14-22, 2014.

MORIN, Edgar. Introdução ao pensamento complexo. 5. ed. Porto Alegre: Sulinas, 2015.

MOTTA, Fernando Carlos Prestes; VASCONCELOS, Isabella Freitas Gouveia. Teoria geral da administração. 3. ed. São Paulo: Thomson Learning, 2006.

OLIVEIRA, Wanderson Fernandes Modesto de et al. Da teoria clássica à contingencial: contribuições à competitividade das organizações. RAUnP - Revista Eletrônica do Mestrado Profissional em Administração da Universidade Potiguar, v. 7, n. 2, p. 43-58, fev./maio, 2015.

ONDAY, Ozgür. Classical organization theory: from generic management of socrates to bureaucracy of weber. International Journal of Business and Management Review, v. 4, n. 1, p. 87-105, 2016a.

ONDAY, Ozgür. Human resource theory: from hawthorne experiments of mayo to groupthink of janis. Global Journal of Human Resource Management Review, v. 4, n. 1, p. 95-110, 2016b.

PACHECO, Patrícia. P. Princípios da administração complexa e células semiautônomas: um estudo de caso na Embraco. (Dissertação de Mestrado em Administração. Universidade do Estado de Santa Catarina, Joinville, SC, Brasil), 2004. Recuperado de https://oatd.org/oatd/record?record=oai%5C%3Audesc.br%5C% 3A18.

PETRAGLIA, Izabel Cristina. Edgar Morin: a educação e a complexidade do ser e do saber. 8. ed. Petrópolis: Vozes, 2003.

PIANA, Janaina; GONÇALVES, Caroline; CORREIA, Marcelo Souza; ERDMANN, Rolf Hermann. Complexidade e administração da produção: estudo em uma indústria de embalagens. XXXI Encontro Nacional de Engenharia de Produção. Belo Horizonte, MG, Brasil, 2011.

PIMENTA, Ananda Carvalho. Resenha: introdução ao pensamento complexo de Edgar Morin. Revista Científica da FHO|Uniararas, v. 1, n. 2, p. 33-37, 2013.

PRIM, Carlos Henrique. A teoria das organizações e a evolução do pensamento científico. In: ENCONTRO DA ANPAD, 32., 2008, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2008.

KOUMPAROULIS, Dimitrios Nikolaou; VLACHOPOULIOTI, Anathalia. The evolution of scientific management. Journal SAVAP Academic Research Internationl, v.3, n. 2, p. 420-126, 2012.

KUHN, Thomas S. A estrutura das revoluções científicas. 9. ed. São Paulo: Perspectiva, 2005.

RAMALHO, Wanderley. A dialética materialista. Trabalho Disciplinar - Universidade Federal de Minas Gerais, Tópicos Especiais em Filosofia das Ciências Humanas – Formas de Racionalidade e Estratégias das Ciências Humanas do Século XX, 17 f., 2004.

SILVA, Minelle Enéas da; PEDROZO, Eugênio Ávila. Consumo sustentável: um olhar a partir da teoria da complexidade. Revista Gestão.Org, v. 14, Edição Especial, p. 1-15, 2016.

SILVA, Reinaldo Oliveira da. Teorias da administração. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2008.




DOI: https://doi.org/10.5752/P.2236-0603.2019v9n17p92-111

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Esta obra está licenciada sob uma Creative Commons Attribution 4.0 International license.

 

Redes Sociais:

Filiada:

 

Indexadores:

 



 

 

Apoio:

 

 

Logotipo do IBICT