INDICADORES DEMOGRÁFICOS DOS MUNICÍPIOS DO CONSÓRCIO DE SAÚDE E DESENVOLVIMENTO DOS VALES DO NOROESTE DE MINAS – PERÍODO 2000 E 2010

Palavras-chave: Indicadores demográficos. Cooperação. Minas Gerais. Convales.

Resumo

A cooperação intermunicipal favorece ações e elaboração de políticas públicas em benefício da sociedade. Para tanto, é fundamental que os gestores tenham conhecimento das demandas, das singularidades e diferenças dos indicadores socioeconômicos. Especificamente, os indicadores demográficos permitem uma análise da dinâmica populacional, possibilitam compreender a composição etária, identificar o envelhecimento, a razão de dependência seja de jovens ou idosos, entre outros aspectos. Nesse ínterim, o presente estudo teve por objetivo analisar os indicadores demográficos dos municípios partícipes do Consórcio de Saúde e Desenvolvimento dos Vales do Noroeste de Minas (Convales), referentes aos anos 2000 e 2010. De cunho bibliográfico e via levantamento e tratamento dos indicadores, os resultados apontaram que ocorreram melhorias nos indicadores dos municípios. Todavia alguns apresentam piores médias que o Estado de Minas Gerais e o próprio Brasil.

Biografia do Autor

Elias Rodrigues de Oliveira Filho, IFNMG Campus Arinos

Administrador. Doutor em Desenvolvimento Regional no Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional - Universidade de Santa Cruz do Sul (PPGDR/UNISC). Parte da tese de doutorado do primeiro autor no Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional, Universidade de Santa Cruz do Sul - UNISC, Santa Cruz do Sul, RS. Mestre em Educação - Políticas Públicas e Gestão.pela UNB /Brasília/DF. Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Norte de Minas Gerais (IFNMG), Campus Arinos, Arinos/MG.

Rogério Leandro Lima da Silveira, Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC)

Geógrafo. Doutor em Geografia. Pesquisador do CNPq. Professor do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional, da Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC). Email: rlls@unisc.br. Pesquisador do CNPq - 2. Pesquisador Visitante do Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais da Universidade Nova de Lisboa - CICS.NOVA. Professor titular e pesquisador do Departamento de História e Geografia, e pesquisador e orientador no Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional - Mestrado e Doutorado, da Universidade de Santa Cruz do Sul. É líder do GEPEUR - Grupo de Pesquisa e Estudos Urbanos Regionais (CNPq). Coordenador do Observatório do Desenvolvimento Regional. Integra a Rede Iberoamericana de Estudos sobre Desenvolvimento Territorial e Governança - REDETEG e a Rede Brasileira de Pesquisa e Gestão em Desenvolvimento Territorial-RETE. Editor da REDES - Revista sobre o Desenvolvimento Regional, do PPGDR-UNISC

Referências

REFERÊNCIAS

AMARAL, J. A. R. et al (2013). Mortalidade Infantil e expectativa de vida na composição do IDH do município de Marabá. Marabá – PA.

BEZZI, M. L. (2002). Região como foco de identidade cultural. Geografia, Rio Claro, v. 27, nº. 1, p.5-19, abril.

CAMARANO, A. A. (2002). Envelhecimento da População Brasileira: uma contribuição demográfica. Rio de Janeiro (RJ): IPEA.

CONVALES. CONSÓRCIO PÚBLICO DE SAÚDE E DESENVOLVIMENTO DOS VALES DO NOROESTE DE MINAS (2017). Relatórios técnicos. Arinos (MG): CONVALES.

FERREIRA, F. P. M. et. al. (2012). População e políticas públicas: tendências e cenários para Minas Gerais. IN. Revista Cadernos BDMG. Nº 21. Belo Horizonte, p.55-85.

FJP. FUNDAÇÃO JOÃO PINHEIRO. DIREI. DIRETORIA DE ESTATÍSTICA E INFORMAÇÕES (2018). Produto Interno Bruto dos Municípios de Minas Gerais: 2016 / Fundação João Pinheiro, Diretoria de Estatística e Informações. – Belo Horizonte: FJP.

IBGE. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Demográfico 2010. (2010). Disponível em: . Acesso em: 20/10/2019.

______. Estimativas demográficas de 2019 de Minas Gerais. (2019). Disponível em << www.cidades.ibge.gov.br>> Acessado 31/10/2019.

JANNUZZI, P. M. (2012). Indicadores Sociais no Brasil: conceitos, fontes de dados e aplicações. 5°ed. Campinas, São Paulo: editora Alínea, 2012.

MOREIRA, M. M. (2012). O rápido envelhecimento da população brasileira: intensidade e características. Anais.... III Encontro Internacional de Ciências Sociais. Pelotas (RS): Universidade Federal de Pelotas.

PNUD. PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO; IPEA. INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA; FJP. FUNDAÇÃO JOÃO PINHEIRO (2013). Atlas do Desenvolvimento Humano do Brasil 2013. Brasília: PNUD; IPEA; FJP. Disponível em: . Acesso em: 16 outubro. 2019.

RIPSA. REDE INTERAGENCIAL DE INFORMAÇÃO PARA A SAÚDE. Indicadores básicos para a saúde no Brasil: conceitos e aplicações, 2ª edição, Brasília (DF): Organização Pan-Americana da Saúde, 2008.

SIMÕES, C. C. S (2002). Perfis de saúde e de mortalidade no Brasil: uma análise de seus condicionantes em grupos populacionais específicos. Brasília (DF): Organização Pan-Americana da Saúde.
Publicado
15-09-2020