A IMPLEMENTAÇÃO DA GESTÃO DEMOCRÁTICA NA EDUCAÇÃO E O NOVO MODELO DE GESTÃO PÚBLICA

Palavras-chave: Nova Gestão Pública. Gestão Democrática. Gerencialismo. Educação pública.

Resumo

Esse artigo aborda o tema gestão democrática na escola pública no contexto de um novo modelo de gestão, denominado “Nova Gestão Pública” (NGP) ou “Gerencialismo”. Tem-se como objetivo discutir a implementação da gestão democrática da escola pública nesse contexto de mudanças, com repercussões diretas na organização, na estrutura escolar e na administração. Aborda-se o conceito implícito na expressão “gestão democrática” e mecanismos estabelecidos na LDB, nº 9394, de 1996, diante dos fundamentos e processos da NGP em movimento. Discute-se as possibilidades de implementação da gestão democrática na educação pública no cenário atual, tendo como base de discussão a participação coletiva, a construção do diálogo, mas também os embates e divergências da nova forma de gerenciamento da escola. Metodologicamente, o artigo foi elaborado a partir da pesquisa bibliográfica e análise de documentos normativos da educação e apresenta contribuições importantes para os gestores e profissionais da educação que se encontram no exercício da docência ou da gestão escolar. Os aspectos da gestão democrática são analisados confrontando-se com aspectos de uma nova gestão pública em andamento em contraposição ao antigo e obsoleto modelo burocrático. Destaca também os princípios e convicções do gerencialismo, colocando em pauta a ocupação do gestor nas instituições de ensino e suas responsabilidades e dificuldades diante das novas exigências demandadas pelas mudanças na organização e estrutura escolar implementação de novas práticas de gestão.

Biografia do Autor

Nelson Lambert de Andrade, Universidade do Vale do Sapucaí (UNIVÁS)

Graduado em Ciências Contábeis pela Faculdade de Economia e Finanças do Rio de Janeiro (1974) e em Administração de Empresas pela Faculdade de Economia e Finanças do Rio de Janeiro (1972) e mestrado em Ciências da Linguagem pela Universidade do Vale do Sapucaí (2007). Doutor em Educação - PUC SP. Atualmente é docente da Universidade do Vale do Sapucaí. Professor Permanente do Mestrado em Educação. Coordenador do Curso de Ciências Contábeis. Foi docente em Tempo Parcial do Mestrado em Gestão, Planejamento e Ensino da Universidade do Rio Verde - UninCor, Tem experiência na área de Administração, com ênfase em Ciências Contábeis, atuando principalmente nas seguintes áreas: Contabilidade, Administração, Educação, Qualidade e Autoavaliação Institucional. Integra o Banco de Avaliadores do SINAES (BASIS).É pesquisador do Grupo de Pesquisa Currículo Questões Atuais da PUC-SP. E do Grupo de Pesquisa em Educação e Gestão (GEPEG): Questões Contemporâneas de Ensino, Currículo, Avaliação e Gestão

Luan Moreira Machado, Universidade do Vale do Sapucaí (UNIVÁS)

Mestrando em Educação pela Universidade do Vale do Sapucaí (UNIVÁS), possui graduação em Ciências Contábeis pela Universidade do Vale do Sapucaí (UNIVÁS). Atualmente é um dos Contadores da Fundação de Ensino Superior do Vale do Sapucaí. Tem experiência na área de Contabilidade, com ênfase em Controladoria.

Leandro Alberto da Silva, Universidade do Vale do Sapucaí (UNIVÁS)

Formado em Engenharia Industrial Química pela USP - Escola de Engenharia de Lorena no ano de 2006, atualmente sou professor titular da escola SESI / SENAI na cidade de Pouso Alegre, em Minas Gerais no qual já trabalho à 5 anos. Com experiência na área de Física e Química com ênfase em Física, já trabalhei na rede estadual, municipal e em colégios particulares, como o anglo, objetivo, CNEC e São José. Durante todo tempo de faculdade trabalhava dando aulas em escolas públicas e já trabalhava estagiiando em grandes fábricas como Unilever e Maxion, tendo como foco principal o papel do Engenheiro de Produção. Após o término da faculdade fui efetivado na empresa Unilever em São Paulo e posteriormente trabalhei como engenheiro na industria da YOKI em Pouso alegre. Participei de vários trabalhos voluntários como casa de abrigo de Lorena - SP e um projeto de cursinho para alunos carentes também em Lorena. Atualmente sou mestrando em educação e me dedico unica e exclusivamente a lecionar e aprender cada dia mais sobre a educação.

Giselle Faria dos Santos, Universidade do Vale do Sapucaí (UNIVÁS)

Sou mestranda do Mestrado em Educação da Universidade do Vale do Sapucaí. Bacharel em Enfermagem pela mesma universidade. Técnica de Enfermagem, especializada em Enfermagem do Trabalho a Nível médio. Possuo experiência na área hospitalar e em empresas. No mestrado tive a oportunidade de construí dois artigos junto aos colegas e orientadores nesse semestre que aguardam submissão nas revistas, contribui na organização e apoio do primeiro encontro digital do nosso curso de metodologias ativas e ensino híbrido, onde envolveu professores de todos os níveis de ensino.

Referências

ADRIÃO, T. Educação e produtividade: a reforma do ensino paulista e a desobrigação do Estado. São Paulo: Xamã, 2006.

AGUIAR, M. C. C. Um olhar sobre desafios da gestão didático-pedagógica no Ensino Superior. Revista Pro.Posições, Recife: UFPE, V. 27, N. 3, 2016, p. 221-236.

BARROSO, J. Para o desenvolvimento de uma cultura de participação na escola. Lisboa: Instituto de Inovação Educacional, 1995.

BORDIGNON, G.; GRACINDO, R. V. Gestão da educação: o município e a escola. In: FERREIRA, N. S. C.; AGUIAR, M. A. da S. (Org.). Gestão da educação: impasses, perspectivas e compromissos. São Paulo: Cortez, 2000. p. 147-176

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988. Disponível em: Acesso em: 20 jun. 2020.

BRASIL. Lei nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: . Acesso em: 27 abr. 2020.

BRASIL. Lei n° 13.005, de 25 de junho de 2014. Plano Nacional de Educação. Disponível em: . Acesso em: 10 maio 2020.

BRASIL, Plano diretor da reforma do aparelho do estado. Brasília, 21 set. 1995. Disponível em: . Acesso em 31 mar. 2020.

BRESSER-PEREIRA, L. C.; SPINK, P. Reforma do Estado e administração pública gerencial. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2006.

CÓSSIO, M. F. A nova gestão pública: alguns impactos nas políticas educacionais e na formação professores. Revista Educação, Porto Alegre: UFRGS, v. 41, n. 1, 2018, p. 63-73.

CURY, C. R. J. Direito à diferença: um reconhecimento legal. Revista Educação em Revista, Belo Horizonte: n. 30, p. 7-16, 1999.

DEPONTI, C. M. et al. Estratégia para construção de indicadores para avaliação da sustentabilidade e monitoramento de sistemas. Revista Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável. V. 3, n.4, 2002, p. 44 – 52.

HOOD, Christopher. Public management for all seasons? In: Revista Public Administration, Londres: v.69, nº 01, 1991, p. 03-19.

LIBÂNEO, J. C. Organização e gestão da escola: Teoria e Prática. Goiânia: Alternativa, 2004.

LIBÂNEO, J. C. Educação escolar, políticas, estruturas e organização. São Paulo: Cortez, 2005.

LIMA, L. C. A escola como organização educativa: uma abordagem sociológica. São Paulo: Cortez, 2003.

LÜCK, H. Dimensões da gestão escolar e suas competências. Curitiba: Editora Positivo, 2009.

MOTA JÚNIOR, W. P.; MAUÉS, O. C. O Banco Mundial e as Políticas Educacionais Brasileiras. Revista Educação & Realidade, Porto Alegre: v. 39, n. 4, 2014, p. 1137-1152.

OLIVEIRA, D. A. Nova gestão pública e governos democráticos-populares: contradições entre a busca da eficiência e a ampliação do direito à educação. Revista Educação e Sociedade, Campinas: v. 36, n. 132, 2015, p. 625-646.

SAVIANI, D. A educação na Constituição Federal de 1988: avanços no texto e sua neutralização no contexto dos 25 anos de vigência. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, Recife: ANPAE, v. 29, n. 2, 2013, p. 207-221.

SHEPHERD, G.; VALENCIA, S. Modernizando a administração pública na América Latina: problemas comuns sem soluções fáceis. Revista do Serviço Público, Brasília: v.120, nº 03, 1996, p. 103-128.

SANDER, B. Políticas públicas e gestão democrática da educação. Revista brasileira de política e administração da educação, Porto Alegre: UFRGS, v.23, n.3, 2007, p. 421-447

ZENARDINI, I. M. S. A ideologia da pós-modernidade e a política de gestão educacional brasileira. Campinas: UNICAMP, 2006. 163f. Tese (Doutorado em Educação) -Universidade Estadual de Campinas.
Publicado
23-12-2020