O O CASO UBER, A (IN) SEGURANÇA JURÍDICA E O BACKLASH

  • Matheus Henrique Braga de Morais Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
Palavras-chave: Backlash, Uber, Insegurança jurídica, Decisões judiciais

Resumo

Com o mundo cada vez mais globalizado, os atos normativos exarados pelo poder legislativo a partir das leis e das emendas constitucionais, do poder judiciário através de suas decisões e do poder executivo através de suas portarias, resoluções, decretos e normas internas têm sido cada vez mais objeto de discussões seja no meio acadêmico, seja em circunstâncias festivas ou em outro tipo de evento da sociedade. As tecnologias vieram para alterar e dinamizar o ritmo com que a sociedade se desenvolve e alterar as relações sociais, tendendo a ultrapassar fronteiras e não ficando restritas a um determinado grupamento. Assim, dessa forma, a Uber alcançou espaço entre os consumidores brasileiros a partir de uma mudança social, política e econômica que não ficou adstrito somente a um determinado país, mas tem se alastrado por todos os países do globo, mesmo trazendo controvérsias. O presente artigo busca analisar o impacto da insegurança jurídica no ordenamento jurídico trabalhista e como - ou se - as divergências existentes entre as decisões judiciais de primeira instância acarretam um possível efeito backlash, trilhando o caminho pelo exame dos institutos do backlash e pelo estudo das decisões judiciais que não reconhecem a existência de relação empregatícia e, por fim, pela aplicabilidade e convergência desses institutos.

Biografia do Autor

Matheus Henrique Braga de Morais, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Graduando em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC/MG). Monitor em Direito Processual Civil da PUC/MG. Aluno integrante do Núcleo de Estudos em Direito Processual e Democracia. 

Referências

ÁVILA, Humberto. Segurança Jurídica. São Paulo: Malheiros, 2011.

BARBOSA, Vinícius Gozdecki Quirino. A interferência da política neoliberal no direito fundamental ao trabalho. Revista ESMAT. Palmas: Escola Superior da Magistratura Tocantinense, v. 9, edição especial, fev. 2018. Disponível em: . Acesso em: 15 mar. 2021.

BASPINEIRO, Adalid Contreras. Derechos humanos y vivir bien/buen vivir. Revista ESMAT. Palmas: Escola Superior da Magistratura Tocantinense, v. 9, n°. 12, mar. 2017. Disponível em: . Acesso em: 15 mar. 2020.
BITTAR, Eduardo C.. Justiça social, pobreza e Direitos Humanos. Revista ESMAT. Palmas: Escola Superior da Magistratura Tocantinense, v. 9, edição especial, fev. 2018. Disponível em: . Acesso em: 22 abr. 2020.
BOLSONARO assina compromisso pela “união entre homem e mulher”. Estadão, São Paulo, 19 out. 2018. Política. Disponível em: . Acesso em: 16 abr. 2020.
BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Habeas Corpus 126292/SP, Relator(a): Min. Teori Zavascki, Tribunal Pleno, julgado em 17/02/2016, publicado em 17-05-2016. Disponível em: . Acesso em: 12 abr. 2020.
BRASIL. Câmara dos Deputados (2016). Projeto de Lei n°. 5587/2016. Disponível em: . Visualizado em 19 maio. 2020.
Câmara Municipal de Belo Horizonte (2016). Pesquisar legislação: Lei – 10.900/2016. Disponível em: https://www.cmbh.mg.gov.br/atividade-legislativa/pesquisar- 291 legislacao/lei/10900/2016. Visualizado em 19 mai. 2020.
D'AMATO, Anthony. Legal Uncertainty. Faculty Working Papers. Northwestern University School of Law. Disponível em: . Acesso em: 22 abr. 2020.
CNBB lamenta decisão do STF sobre células-tronco. Estadão, São Paulo, 30 maio 2008. Notícias. Disponível em: . Acesso em: 18 abr. 2020.
FARIAS, Eduardo Helfer de. RACHED, Gabriel. Regulação do transporte individual de passageiros: Um estudo sobre o caso Uber no Brasil. Revista de Direito da Cidade. Rio de Janeiro: Universidade do Estado do Rio do Janeiro, vol. 09, n°. 3. Disponível em: . Acesso em 23 abr. 2020.
FONTELES, Samuel Sales. Direito e Backlash. Salvador: JusPodivm, 2019.
POST, Robert; SIEGEL, Reva. Roe Rage: Democratic Constitucionalism and Backlash. Harvard Civil Rights-Civil Liberties Law Review, vol. 42.
TEODORO, Maria Cecília Máximo. SILVA, Thaís Cláudia D’Afonseca. ANTONIETA, Maria. Revista da Faculdade Mineira de Direito. Belo Horizonte: Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, v. 20, n°. 39, abr. 2017. Disponível em: . Acesso em: 19 de abr. 2021.
SILVA, José Afonso da. Comentário Contextual à Constituição. São Paulo: Malheiros, 2006.

TELÉSFORO, Rachel Lopes. Uber: inovação disruptiva e ciclos de intervenção regulatória. 2016. 107fls. Dissertação (Mestre em Direito da Regulação) – Escola de Direito do Rio de Janeiro da Fundação Getúlio Vargas, Brasil, 2016. Disponível em: . Acesso em: 19 abr. 2020.

______. Uber: Inovação Tecnológica e Desafios Regulatórios. Revista da Escola de Magistratura Regional Federal, v. 25, p. 281-299, 2016. Disponível em: . Acesso em: 19 abr. 2020.
Publicado
10-09-2020