O desempenho do Brasil e de Minas Gerais no Mercado Internacional: o comportamento do agronegócio e os demais setores industriais

  • José Eustáquio Ribeiro Vieira Filho Pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) e da Universidade de Columbia, bem como Doutor em Economia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), tendo realizado estágio de pesquisa (sanduíche) na Universidade Montesquieu Bordeaux IV, no Groupe de Recherche en Économie Théorique et Appliquée (GREThA) França. Desde 2012, cursa matemática na Universidade de Brasília (UNB). Ademais, obteve mestrado em Economia Aplicada pela Universidade Federal de Viçosa (UFV), especialização em Administração Pública pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) e bacharelado em Economia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
Palavras-chave: Agronegócio. Balança Comercial. Especialização.

Resumo

O presente trabalho procura caracterizar o comportamento da economia de Minas Gerais frente a economia brasileira. Através de uma análise empírica, o foco principal do estudo em questão busca identificar os produtos que possuem melhores condições de inserção internacional, definindo o tipo de especialização. Por meio de indicadores de comércio exterior já consagrados na literatura econômica, serão calculados o indicador de vantagem comparativa revelada (VCR), o índice de contribuição ao saldo comercial (ICSC) e a taxa de cobertura. A base de dados utilizada se refere ao período de 2008 a 2013, o que permite estudar o impacto de importantes transformações ocorridas na conjuntura econômica brasileira após a crise financeira internacional. Os resultados mostram que Minas Gerais contribuiu favoravelmente com a balança comercial brasileira, tendo especialização em setores relacionados ao agronegócio, de mineração e siderurgia.  Ao mesmo tempo, o Brasil obteve saldos comerciais decrescentes com relativa perda econômica do peso da produção industrial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Eustáquio Ribeiro Vieira Filho, Pesquisador do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) e da Universidade de Columbia, bem como Doutor em Economia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), tendo realizado estágio de pesquisa (sanduíche) na Universidade Montesquieu Bordeaux IV, no Groupe de Recherche en Économie Théorique et Appliquée (GREThA) França. Desde 2012, cursa matemática na Universidade de Brasília (UNB). Ademais, obteve mestrado em Economia Aplicada pela Universidade Federal de Viçosa (UFV), especialização em Administração Pública pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) e bacharelado em Economia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
Na área governamental, possui experiência de planejamento, gestão e avaliação de políticas públicas, tendo exercido cargos no Governo do Estado de Minas Gerais nas áreas de Minas e Energia e de Relações Internacionais e no Governo Federal no IPEA. No meio acadêmico, lecionou na UNB e na UNICAMP. As principais disciplinas ministradas foram de Economia com ênfase em Organização Industrial, atuando principalmente nos temas relacionados à Inovação Tecnológica, Desenvolvimento Econômico, Economia Brasileira, Contabilidade Nacional e Microeconomia. Foi Conselheiro Federal de Economia entre 2010 e 2012. Autor de livros e artigos publicados em periódicos e anais de congressos, sendo que os mais recentes concentram-se na área de ciência, tecnologia e agricultura.
Publicado
09-12-2015