ALGUMAS REFLEXÕES PSICANALÍTICAS SOBRE O FAZER PEDAGÓGICO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL A PARTIR DO REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA EDUCAÇÃO INFANTIL E OUTROS DOCUMENTOS

  • Viviane Marques Alvim Campi Barbosa UFMG
  • Nádia Laguárdia de Lima UFMG
Palavras-chave: Bebês. Crianças pequenas. Educação infantil. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Diretrizes para a Educação Infantil.

Resumo

O presente artigo busca refletir sobre a prática dos professores junto às crianças pequenas de zero a três anos de idade, nas instituições de Educação Infantil. Para fazer essa reflexão utiliza a teoria psicanalítica. O percurso teórico parte das representações de professor que sustenta os referenciais e as diretrizes para a Educação Infantil, para em seguida analisar se os seus parâmetros favorecem ou não o trabalho do educador de apoio à subjetivação dos bebês e crianças pequenas. Considera-se que o trabalho do professor com bebês e crianças pequenas nas instituições não se restringe à aplicação de técnicas ou à execução de currículos prescritos, tampouco consiste em tomar as crianças como um corpo a ser higienizado, alimentado e protegido. Os referenciais e diretrizes para a educação infantil apresentam-se como uma maneira de regular e disciplinar a atuação dos profissionais da educação infantil, a fim de que seja garantido à criança o seu desenvolvimento integral. Entretanto, este artigo defende a hipótese de que o papel do educador não deveria estar referido a um padrão universal, mas caminhar no sentido da singularização das crianças.

Biografia do Autor

Viviane Marques Alvim Campi Barbosa, UFMG
Psicanalista, Mestre em Psicologia pela UFMG, Professora universitária, Belo Horizonte, MG, Brasil.
Nádia Laguárdia de Lima, UFMG
Pós-Doutorado em Teoria Psicanalítica (UFRJ), Doutorado e Mestrado em Educação (UFMG), Graduação em Psicologia (UFMG), Professora Adjunta do Departamento de Psicologia e do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFMG, Belo Horizonte, MG.

Referências

ARENDT, Hannah. Entre o passado e o futuro. 5. ed. São Paulo: Editora Perspectiva, 2000.

CALLIGARIS, Contardo (Org.). Educa-se uma criança?. Porto Alegre: Artes e Ofícios, 1994.

CERISARA, Ana Beatriz. Educar e cuidar: por onde anda a educação infantil? Perspectiva, Florianópolis, v. 17, n. especial, 1999.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da Republica Federativa do Brasil. São Paulo: Saraiva, 1999.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Brasília, 21 de dezembro de 1996.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Básica. Brasília: MEC/SEB, 2013.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil - DCNEI. Brasília: MEC/SEB, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil: introdução. v.1. Brasília: MEC/SEF, 1998. Disponível em:< http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/rcnei_vol2.pdf> Acesso em: 10 de Jan. 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil: formação pessoal e social. v.2. Brasília: MEC/SEF, 1998. Disponível em <http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/rcnei_vol3.pdf> Acesso em: 10 de Jan. 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil: conhecimento de mundo. v.3. Brasília: MEC/SEF, 1998. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/rcnei_vol1.pdf> Acesso em: 10 de Jan. 2014.

FREUD, Sigmund. Sobre o narcisismo: uma introdução. In: FREUD, Sigmund. Edição Standard brasileira das obras psicológicas completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1914-1916. v.14, 1996.

FOUCAULT, Michel. Em defesa da sociedade: curso no Collège de France (1975-1976). São Paulo: Martins Fontes, 2000.

FOUCAULT, Michel. Historia da Sexualidade: a vontade de saber. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1988.

JERUSALINSKY, Julieta. Enquanto o futuro não vem: a psicanálise na clínica interdisciplinar com bebês. Salvador: Álgama, 2002.

Algumas reflexões psicanalíticas sobre o fazer pedagógico de professores da educação infantil a partir

do referencial curricular nacional para educação infantil e outros documentos

Percurso Acadêmico, Belo Horizonte, v. 6, n. 12, jul./dez. 2016

LACAN, Jacques. Nota sobre a criança. In: LACAN, Jacques. Outros Escritos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1969. p. 369-370, 2003.

LACAN, Jacques. O seminário, livro 20: Mais, ainda. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1968-1969. 2008.

LASNIK, Marie-Christine. Rumo à palavra: três crianças autistas em psicanálise. São Paulo: Escuta, 1997.

LAURENT, Éric. A sociedade do sintoma: a Psicanálise, hoje. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2007.

ROCHA, Eloísa A. C. A Pesquisa em Educação Infantil no Brasil: Trajetória Recente e Perspectivas de Consolidação de uma Pedagogia. 1999. Tese (Doutorado) - UNICAMP, Campinas.

Publicado
27-04-2017