Percurso Acadêmico http://periodicos.pucminas.br/index.php/percursoacademico <p style="text-align: justify;"><strong>Percurso Acadêmico</strong>&nbsp;- Revista Interdisciplinar da PUC Minas no Barreiro - é uma<strong>&nbsp;</strong>publicação semestral da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, avaliada pelo Qualis Periódico como revista&nbsp;B3(Interdisciplinar), B3(Direito), B3 (Arquitetura, Urbanismo e Design)&nbsp;e B3(Planejamento Urbano e Regional/ Demografia). &nbsp;Seu público-alvo são&nbsp;docentes, pesquisadores, estudantes universitários de graduação e pós-graduação e demais interessados na produção científica das diversas áreas de conhecimento.</p> <p style="text-align: justify;">&nbsp;<strong>Missão:&nbsp;</strong>veicular trabalhos científicos de docentes e discentes, como forma de registro e divulgação de suas pesquisas, nas diversas áreas de conhecimento, fomentando a formação acadêmica crítica e de qualidade, integrando ensino, pesquisa e extensão.</p> PUC Minas pt-BR Percurso Acadêmico 2236-0603 <h3>Direitos Autorais e Licença Creative Commons</h3><p>O envio de qualquer colaboração implica automaticamente a <strong>cessão integral dos direitos autorais</strong> à Editora PUC Minas. Solicita-se ao (s) autor (es) <strong>assinalar (em)</strong><strong> </strong><strong>o termo-declaração que expressa a transferência de direitos autorais à Editora PUC Minas, a afirmação</strong><strong> </strong><strong>da</strong><strong> </strong>autoria, <strong>originalidade e ineditismo do texto e de sua exclusividade de publicação em Horizonte e sobre a inexistência de conflito de interesses</strong> (relações entre autores, empresas/instituições ou indivíduos com interesse no tema abordado pelo artigo). Solicita-se também <strong>informar, caso existam, os órgãos ou instituições financiadoras da pesquisa objeto do artigo.</strong></p><p><strong>Percurso <em>Acadêmico </em></strong>é uma obra licenciada sob uma <a href="http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/" target="_new">Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported</a> (CC BY-NC-ND 3.0).</p><p> </p><h3>Declaração de Direito Autoral</h3><p>Submeto (emos) o presente trabalho, texto original e inédito, de minha (nossa) autoria, à avaliação de <strong>Percurso <em>Acadêmico</em></strong> - Revista Interdisciplinar da PUC Minas no Barreiro, e concordo (amos) que os direitos autorais a ele referentes se tornem propriedade exclusiva da Editora PUC Minas, sendo vedada qualquer reprodução total ou parcial, em qualquer outra parte ou outro meio de divulgação impresso ou eletrônico, dissociado de <strong>Percurso <em>Acedêmico</em></strong>, sem que a necessária e prévia autorização seja solicitada por escrito e obtida junto ao Editor-gerente. Declaro (amos) ainda que não existe conflito de interesse entre o tema abordado, o (s) autor (es) e empresas, instituições ou indivíduos.</p><p>Reconheço (Reconhecemos) ainda que <strong>Percurso <em>Acadêmico</em> </strong>está licenciada sob uma<strong> </strong></p><p><strong> </strong><strong>LICENÇA CREATIVE COMMONS: </strong></p><p><strong><a href="http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/" target="_new">Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported</a> (CC BY-NC-ND 3.0). </strong></p> LIDERANÇA E GESTÃO: A EVOLUÇÃO E A COMPLETUDE DOS PAPÉIS http://periodicos.pucminas.br/index.php/percursoacademico/article/view/22258 <p>Gestão e liderança são palavras que se confundem – é comum tratá-las como sinônimos, assim como os responsáveis por exercer tais papéis – gestor e líder. Este artigo traz uma revisão literária da relação entre ambos e dos dois conceitos distintos, trazendo diversas visões, de diferentes épocas e ambientes, sobre o assunto. São vistas variadas definições e consolidação de algumas delas, por afinidade, facilitando o entendimento teórico e sua aplicação prática. Tida esta visão dos conceitos, destaca-se as lacunas encontradas no tema, sugere-se a realização de estudos complementares, e conclui-se haver a existência de uma distinção importante entre os papéis, que deve ser levada em conta na aplicação prática da função.</p> <p>&nbsp;</p> Roseli Chaves Copyright (c) 2020 Percurso Acadêmico 2020-09-17 2020-09-17 10 19 95 108 ASPECTOS SOCIOECONÔMICOS, SOBRECARGA E QUALIDADE DE VIDA DO CUIDADOR DE IDOSOS COM DOENÇA DE ALZHEIMER http://periodicos.pucminas.br/index.php/percursoacademico/article/view/21961 <p>O presente estudo teve por objetivo analisar os fatores, especialmente os socioeconômicos, presentes no núcleo familiar que possa influenciar no cuidado da pessoa com diagnóstico médico de doença de Alzheimer (DA). Trata-se de estudo de caso transversal e exploratório. Os sujeitos da pesquisa foram 10 cuidadores principais, 2 cuidadores secundários e 10 indivíduos com DA adscritos em uma Unidade Básica de Saúde, do município de Betim, Minas Gerais. Na pesquisa, foram utilizados os seguintes instrumentos de coleta: a Escala de Sobrecarga de cuidadores de Zarit, o Questionário Critério de Classificação Econômica Brasil, a entrevista com roteiro semiestruturado e o diário de campo do pesquisador sendo feita análise de conteúdo dos achados. A pesquisa foi aprovada e submetida pelo Comitê de Ética em Pesquisa da PUC Minas. Os achados da pesquisa revelam que o aspecto sócio econômico influencia na maneira que são realizados os cuidados aos idosos com Doença de Alzheimer. Torna-se necessário que um membro do núcleo familiar assuma o cuidado ao idoso adoecido por dificuldades para contratar profissionais cuidadores, tido como cuidador informal. O perfil desse cuidador é majoritariamente do sexo feminino em idade adulta e com baixa escolaridade. O cuidado é realizado em longos períodos, sem auxílio para a divisão das tarefas, sem capacitação e com poucos recursos financeiros, o que leva à sobrecarga do cuidador e um cuidado fragilizado. Os desafios enfrentados nesse processo de cuidar são múltiplos indo desde a falta de conhecimento sobre a doença até a falta de políticas de cuidado de longa duração que subsidiem a assistência a essas famílias. O estudo revelou a necessidade premente de apoio ao cuidador, especialmente aos cuidadores familiares, prevalente no contexto brasileiro, que tem vivido em um grau de sobrecarga de moderada a severa, com repercussões em sua qualidade de vida.</p> Niciane Maria de Paula Souza Deborah Santos Pereira Miriam Silva Inácio Alves Rêne Mary de Queiroz Carvalho Natália de Cassia Horta Copyright (c) 2020 Percurso Acadêmico 2020-04-06 2020-04-06 10 19 1 16 PERCEPÇÃO DE PROFISSIONAIS E GESTORES SOBRE A PROMOÇÃO DA SAÚDE DOS IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS http://periodicos.pucminas.br/index.php/percursoacademico/article/view/21478 <p>Este artigo tem como objetivo analisar as percepções dos profissionais sobre as práticas por eles realizadas para a promoção da saúde do idoso institucionalizado. Trata-se de pesquisa descritivo-exploratória, de natureza quanti-qualitativa cujos dados foram coletados por meio de questionário aplicado em 156 Instituições de Longa Permanência de Idosos (ILPI) da Região Metropolitana de Belo Horizonte e dez grupos focais com a participação de 62 gestores e profissionais de 48 serviços. Realizou-se estatística descritiva dos dados dos questionários e análise de conteúdo proposta por Bardin para os grupos focais. Deste material emergiu a categoria: “Percepção da Promoção da Saúde no discurso dos participantes”. Os achados negam o pressuposto inicial de que as ILPI têm ofertado cuidados mínimos, majoritariamente assistenciais, para essa população, pois se verificou uma variedade de ações ofertadas pelas instituições, além de eventos externos propostos pelos próprios idosos residentes. Não foi evidenciada diferença entre instituições privadas ou filantrópicas quanto à oferta de ações de promoção da saúde. Os resultados demonstraram que a gestão, a qualificação profissional, o trabalho em equipe multidisciplinar e a atenção à família têm um papel fundamental para a Promoção da Saúde do idoso institucionalizado. Adicionalmente, muitos participantes percebem a promoção da saúde ainda relacionada ao quantitativo de profissionais, recursos físicos e atividades oferecidas, mas alguns participantes já apontam para o reconhecimento da necessidade de se preservar e estimular a autonomia dos idosos como premissa básica para promover saúde.</p> Tatiana Resende Prado Rangel Oliveira Natália de Cássia Horta Marina Celly Martins Ribeiro de Souza Quesia Nayrane Ferreira Michely Cristina Gonçalves Silva Copyright (c) 2020 Percurso Acadêmico 2020-08-31 2020-08-31 10 19 17 31 ONG APATA: UMA ANÁLISE DAS FOTOGRAFIAS DE ANIMAIS PARA ADOÇÃO NO FACEBOOK http://periodicos.pucminas.br/index.php/percursoacademico/article/view/16812 <p>As ONGs de proteção animal fazem uso do Facebook para divulgar animais resgatados com o intuito de encontrar um lar para adoção através de fotografias publicadas. Este estudo tem como finalidade identificar aspectos da linguagem visual que influenciam na percepção das fotografias nas redes sociais, compreendendo a forma com que pode impactar no engajamento dos usuários da rede. O estudo tem como natureza exploratória e explicativa, abordando conceitos de linguagem visual, fotografia, marketing digital, redes sociais e ONG. Foram categorizados aspectos de linguagem e analisados 3 posts com no Facebook da ONG Apata de Taquara/RS. A análise baseou-se no número de engajamento no período de 2 dias. As 3 fotografias totalizaram 940 interações (entre curtir, comentar e compartilhar) e alcançaram 19.171 pessoas. Os resultados não foram conclusivos, mas propôs-se variáveis para que sejam aplicadas em futuras fotografias de animais para adoção.</p> Cristiano Max Pereira Pinheiro Thiago Godolphim Mendes Angela Carolina Roennau Tatiana Andréa Gernhardt Mikaela Lazzarotto de Souza Copyright (c) 2020 Percurso Acadêmico 2020-09-08 2020-09-08 10 19 32 47 O O CASO UBER, A (IN) SEGURANÇA JURÍDICA E O BACKLASH http://periodicos.pucminas.br/index.php/percursoacademico/article/view/24266 <p>Com o mundo cada vez mais globalizado, os atos normativos exarados pelo poder legislativo a partir das leis e das emendas constitucionais, do poder judiciário através de suas decisões e do poder executivo através de suas portarias, resoluções, decretos e normas internas têm sido cada vez mais objeto de discussões seja no meio acadêmico, seja em circunstâncias festivas ou em outro tipo de evento da sociedade. As tecnologias vieram para alterar e dinamizar o ritmo com que a sociedade se desenvolve e alterar as relações sociais, tendendo a ultrapassar fronteiras e não ficando restritas a um determinado grupamento. Assim, dessa forma, a Uber alcançou espaço entre os consumidores brasileiros a partir de uma mudança social, política e econômica que não ficou adstrito somente a um determinado país, mas tem se alastrado por todos os países do globo, mesmo trazendo controvérsias. O presente artigo busca analisar o impacto da insegurança jurídica no ordenamento jurídico trabalhista e como - ou se - as divergências existentes entre as decisões judiciais de primeira instância acarretam um possível efeito <em>backlash, </em>trilhando o caminho pelo exame dos institutos do <em>backlash </em>e pelo estudo das decisões judiciais que não reconhecem a existência de relação empregatícia e, por fim, pela aplicabilidade e convergência desses institutos.</p> Matheus Henrique Braga de Morais Copyright (c) 2020 Percurso Acadêmico 2020-09-10 2020-09-10 10 19 48 73 INDICADORES DEMOGRÁFICOS DOS MUNICÍPIOS DO CONSÓRCIO DE SAÚDE E DESENVOLVIMENTO DOS VALES DO NOROESTE DE MINAS – PERÍODO 2000 E 2010 http://periodicos.pucminas.br/index.php/percursoacademico/article/view/22570 <p>A cooperação intermunicipal favorece ações e elaboração de políticas públicas em benefício da sociedade. Para tanto, é fundamental que os gestores tenham conhecimento das demandas, das singularidades e diferenças dos indicadores socioeconômicos. Especificamente, os indicadores demográficos permitem uma análise da dinâmica populacional, possibilitam compreender a composição etária, identificar o envelhecimento, a razão de dependência seja de jovens ou idosos, entre outros aspectos. Nesse ínterim, o presente estudo teve por objetivo analisar os indicadores demográficos dos municípios partícipes do Consórcio de Saúde e Desenvolvimento dos Vales do Noroeste de Minas (Convales), referentes aos anos 2000 e 2010. De cunho bibliográfico e via levantamento e tratamento dos indicadores, os resultados apontaram que ocorreram melhorias nos indicadores dos municípios. Todavia alguns apresentam piores médias que o Estado de Minas Gerais e o próprio Brasil.</p> Elias Rodrigues de Oliveira Filho Rogério Leandro Lima da Silveira Copyright (c) 2020 Percurso Acadêmico 2020-09-15 2020-09-15 10 19 74 94 COMPARATIVO ENTRE CUSTOS OPERACIONAIS NA POTABILIZAÇÃO DE ÁGUAS SUPERFICIAIS E SUBTERRÂNEAS EM PEQUENAS CIDADES http://periodicos.pucminas.br/index.php/percursoacademico/article/view/21470 <p>A água constitui, um elemento de grande necessidade à manutenção da vida, além de ser considerada o composto mais abundante em nosso planeta, ocupando aproximadamente 70% da superfície do mesmo. No entanto, 97% desta água é salgada e, portanto, imprópria ou com grande dificuldade de torna-la própria para o consumo humano. Menos de 3% da água do planeta é doce, das quais 2,5% está em geleiras e os outros 0,5% de água restantes no mundo em águas superficiais ou subterrâneas. Atualmente os mananciais subterrâneos, devido a qualidade da água bruta que geralmente apresenta baixa variabilidade qualitativa, têm se mostrado uma boa alternativa como fonte de água potável, principalmente em comunidades que possuem indisponibilidade ou que precisam incrementar seus sistemas de tratamento, normalmente exclusivamente superficiais, com novas fontes de águas provenientes de mananciais subterrâneos. Sendo assim, este trabalho irá apresentar resultados obtidos a partir de uma análise econômica dos custos com tratamento de água potável para cidades localizadas dentro do território do estado de Minas Gerais e com população menor que 5.000 habitantes. As análises foram realizadas comparando os custos mensais de mão de obra e eletricidade em sistemas de tratamento da água com tipos distintos de mananciais, superficial e subterrâneo.</p> Paulo Filho Machado Ribeiro Marília Carvalho de Melo Copyright (c) 2020 Percurso Acadêmico 2020-09-17 2020-09-17 10 19 109 125