Educação infantil em Belo Horizonte: análise dos gastos das escolas públicas municipais

Stephanie Brito de Souza

Resumo


Este trabalho abordou a gestão de custos na educação infantil municipal, e teve como objetivo a análise da adequação dos recursos repassados pela Secretaria Municipal de Educação de Belo Horizonte a algumas escolas selecionadas em uma das regiões do município. Os aspectos pesquisados, a partir da percepção dos gestores, estão relacionados à análise dos gastos necessários para o funcionamento das escolas e a realização das atividades de ensino frente às receitas advindas dos repasses da Prefeitura. O estudo fez uso de técnicas qualitativas de coleta de informações, através de entrevistas com gestores de duas escolas selecionadas e com um gestor da Secretaria Municipal de Educação, além da aplicação de questionários aos gestores das outras dez escolas da mesma região. A análise incluiu também o exame do montante das receitas e despesas de cada escola no período de abril a setembro de 2018. Os resultados mostraram que, segundo as informações coletadas, os recursos recebidos pela Secretaria Municipal de Educação não são suficientes para atendimento de todas as demandas necessárias para o bom funcionamento das escolas, uma vez que as essas deixam de realizar algumas atividades que poderiam enriquecer significativamente o aprendizado dos alunos para destinar os recursos apenas às atividades essenciais. Sugere-se que mais estudos sejam feitos em todas as regiões do município; o mesmo estudo também poderia ser feito nos próximos anos, para detectar a permanência ou a alteração dos resultados encontrados.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.