CUIDADOS PALIATIVOS: UMA PERSPECTIVA DE VIDA DIANTE DA MORTE

Rafaela Cristina Nicolau Santos

Resumo


Este estudo buscou compreender o sentido que pacientes e/ou familiares atribuem à vida diante da morte anunciada através dos Cuidados Paliativos. Fez-se uma pesquisa documental, utilizando-se o método fenomenológico, analisada sob a ótica da Fenomenologia Existencial e da Teoria do Sentido. Os documentos pesquisados dizem respeito a Relatórios de Acompanhamento Psicológico realizados em um hospital geral da cidade de Belo Horizonte, entre setembro e dezembro de 2015. Ao analisar estes casos à luz dos critérios propostos por Viktor E. Frankl sobre o sentido da vida chegou-se à conclusão que, mesmo com a morte anunciada, pacientes e/ou familiares continuam investindo nos modos de cuidar da vida e é imprescindível que se possa dar vazão à manifestação das existências que vivenciam este processo. Sendo assim, investigar o sentido da existência destes pacientes pode auxiliar o trabalho da equipe rumo à construção da qualidade de vida frente ao processo de morte.

Palavras-chave


Psicologia; Cuidados Paliativos; Fenomenologia Existencial; Teoria do Sentido; Viktor Frankl

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Celana Cardoso; HOLANDA, Adriano Furtado. Apontamentos sobre Pesquisa Qualitativa e pesquisa empírico-fenomenológica. Estudos de Psicologia, Campinas, v. 27, n. 2, p. 259-268, jun. 2010.

BANTIM, Viviane Domingos da C. S. A despedida da vida no processo de morte: último fenômeno da existência. Revista IGT na Rede, Rio de Janeiro, v.5, n.9, p.105-113, 2008.

CAPALBO, CREUSA. Fenomenologia e ciências humanas. Aparecida, SP: Ideias & Letras, 2008. p. 167.

CAPUTO, Rodrigo Feliciano. O homem e suas representações sobre a morte e o morrer: um percurso histórico. Revista Multidisciplinar da UNIESP, [S.l.], n.6, dez. 2008. Disponível em: . Acesso em: 11 set. 2017.

CERBONE, David R. Fenomenologia. Tradução de Caesar Souza. Petrópolis: Vozes, 2012. 292p.

CRITELLI, Dulce Mára. Analítica do sentido: uma aproximação e interpretação do real de orientação fenomenológica. São Paulo: Brasiliense, 1996. 140p.

FEIJOO, Ana Maria Lopez Calvo; MATTAR, Cristine Monteiro. A Fenomenologia como método de investigação nas Filosofias da Existência e na Psicologia. Psicologia: Teoria e Pesquisa. Brasília, v.30, n. 4, p.441-447, 2014.

FRANCO, Maria Helena Pereira. Psicologia. In: CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO. Cuidado Paliativo. São Paulo: CREMESP, 2008, p.74-76. Disponível em: . Acesso em: 11 set. 2017.

FRANKL, Viktor E. Em busca de sentido: um psicólogo no campo de concentração. 31 ed. rev. Tradução de Walter O. Schlupp e Carlos C. Aveline. São Leopoldo: Sinodal, 2011. 184p.

HERMES, Hélida Ribeiro; LAMARCA; Isabel Cristina Arruda. Cuidados Paliativos: uma abordagem a partir das categorias profissionais de saúde. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.18, n.9, p.2577-2588, jun. 2013.

MACIEL, Maria Goretti Sales. Definições e Princípios. In: CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO. Cuidado Paliativo. São Paulo: CREMESP, 2008, p.15-32. Disponível em: . Acesso em: 11 set. 2017.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.

NUNES, Katiúscia Caminhas et al. História, equipe de saúde e a atuação do psicólogo diante da morte. In: SANTOS, Liliane Cristina et al. Psicologia, Saúde e Hospital: contribuições para a prática profissional. Belo Horizonte: Editora Artesã, 2015. p. 209-221.

PAULINI, Marina Machado. Reflexões sobre a postura fenomenológica diante do morrer. Revista IGT na Rede, Rio de Janeiro, v.4, n.6, p.92-113, 2007.

SAPIENZA, Bilê Tatit. Conversa sobre Terapia. São Paulo: EDUC, 2004. 160p.

SOMMERHALDER, Cinara. Sentido da vida na fase adulta e velhice. Psicologia: Reflexão e Crítica, [S.l], v.23, n.2, p.270-277, 2010.

WERLE, Marco Aurélio. A Angústia, o Nada e a Morte em Heidegger. Trans/Form/Ação, São Paulo, v.26, n.1, p.97-113, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Pretextos - Revista da Graduação em Psicologia da PUC Minas

Compartilhar no Facebook



Licença Creative CommonsEsta obra está protegida com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Esta obra está bajo una Licencia Creative Commons Reconocimiento 4.0 Internacional.
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.