A TERAPIA COGNITIVO-COMPORTAMENTAL E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A IDENTIFICAÇÃO DE PENSAMENTOS DESADAPTATIVOS RECORRENTES EM PAIS ADOTANTES

  • Stephanie da Cunha Calmon
  • Luiz Antonio Bernardes
Palavras-chave: Terapia Cognitivo-Comportamental, Adoção, Pais Adotantes, Pensamentos desadaptativos

Resumo

Este artigo contempla reflexões sobre a adoção e as possíveis contribuições da Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) para a prática de profissionais que atuam com pais adotantes. Oobjetivo principalfoi identificaros pensamentos desadaptativos recorrentes nesses pais. Como metodologia utilizada, foi feita uma revisão narrativa de literatura, a qual ocorreu em três etapas: contextualização do problema, seleção dos materiais a serem analisados e a análise das informações obtidasnesses trabalhos. Os materiais utilizados deveriam ter sido publicados no período de 1997 a dezembro de 2017. Através dos materiais, foi possível a realização de uma análise do tema proposto, apesar da escassez deartigos e pesquisas que correlacionem diretamente os temas TCC e adoção. A discussão teóricaconsistiu na apresentação de alguns conceitos relacionados à adoção partindo de uma construção sócio-histórica, naapresentação dos padrões de pensamentos/crenças a respeito da adoçãoapresentados na literatura, e, posteriormente, abordadas as possíveis contribuições da TCC, juntamente com alguns manejos clínicos que podem ser utilizados na intervenção com pais adotantes. A análise dos trabalhos resultou na identificação da presença de diversos pensamentos desadaptativos relacionados ao processo da adoção, que poderiam estar correlacionadoscom a maneira com a qual o relacionamento entre pais e filhos se constrói.

Referências

BECK, Judith. Terapia cognitiva: teoria e prática. Artmed, 2007.

BOHM, C. H.; GIMENEZ, L. S. Automonitoramento como técnica terapêutica e de avaliação comportamental. Revista psicolog, v. 1, n. 1, p. 89-101, 2008. Disponível em:< http://www.cemp.com.br/arquivos/39088_73.pdf>. Acesso em: 13 de maio de 2018.

BOLSONI-SILVA, Alessandra Turini; MARTURANO, Edna Maria. Práticas educativas e problemas de comportamento: uma análise à luz das habilidades sociais. Estudos de Psicolo-gia (Natal), p. 227-235, 2002. Disponível em:< https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-294X2002000200004&script=sci_abstract&tlng=pt>. Acesso em: 17 de abr. de 2018.

BRASIL. Presidência da República. Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990.

BRASIL, Presidência da República. Nova Lei de Adoção. Lei nº 12.010, 03 de agosto de 2009.

CAMARGO, Mário Lázaro. A adoção tardia no Brasil: desafios e perspectivas para o cuidado com crianças e adolescentes. Proceedings of the 1th Simpósio Internacional do Adolescen-te, 2005. Disponível em:
. Acesso em: 27 de março de 2018.

CORDEIRO, A. M. et al. Revisão sistemática: uma revisão narrativa. Grupo de Estudo de Revisão Sistemática do Rio de Janeiro (GERS-Rio). Rev. Col. Bras. Cir, v. 34, n. 6, 2007. Disponível em: . Acesso em: 25 de abr. de 2018.

COSTA, L. F.; CAMPOS, N. M. V. A avaliação psicossocial no contexto da adoção: vivência das famílias adotantes. Psicologia: teoria e pesquisa, Brasília, v. 19, n. 3, p. 221-230, 2003. Disponível em: . Acesso em: 5 de jul. de 2018.

DUARTE, A. L. C.; NUNES, M. L. T.; KRISTENSEN, C. H. Esquemas desadaptativos: revisão sistemática qualitativa. Revista brasileira de terapias cognitivas, v. 4, n. 1, p. 0-0, 2008. Disponível em:
< http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1808-56872008000100004> . Acesso em: 7 de maio de 2018.

HINTZ, Helena Centeno. Novos tempos, novas famílias? Da modernidade a pósmodernidade. Revista Pensando Famílias, Porto Alegre, 2001. Disponível em:< http://www.susepe.rs.gov.br/upload/1363010551_hintz_novos_tempos,_novas_fam%C3%ADlias_-_complementar_8_abril.pdf>. Acesso em: 22 de abr. de 2018

KNAPP, P.; BECK, A. T. Fundamentos, modelos conceituais, aplicações e pesquisa da terapia cognitiva Cognitive therapy: foundations, conceptual models, applications and research. Rev Bras Psiquiatr, v. 30, n. Supl II, p. S54-64, 2008. Disponível em:< https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1516-44462008000600002&script=sci_abstract&tlng=pt>. Acesso em: 12 de jun. de 2018.

LEVINZON, Gina Khafif. Adoção. Casa do Psicólogo, 2004.

LOUREIRO, Cândida. Treino de competências sociais-uma estratégia em saúde mental: Téc-nicas e procedimentos para a intervenção. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental, n. 9, p. 41-47, 2013. Disponível em:< http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?pid=S1647-21602013000100007&script=sci_abstract>. Acesso em: 17 de abr. de 2018.

MALDONADO, Maria Tereza. Os caminhos do coração: pais e filhos adotivos. Saraiva, 1995.

MAUX, Ana Andréa Barbosa; DUTRA, Elza. A adoção no Brasil: algumas refle-xões. Estudos e Pesquisas em Psicologia, v. 10, n. 2, 2010. Disponível em: . Acesso em: 28 de maio de 2018.

PINTO, M. C. N.; PICON, P. Adoção: proposta preliminar para uma abordagem psicoterápica cognitivo-comportamental para pais adotantes. Revista Brasileira de Terapias Cognitivas, v. 5, n. 1, p. 3-17, 2009. Disponível em: . Acesso em: 23 de jun. de 2018.

ROTHER, Edna Terezinha. Revisão sistemática X revisão narrativa. Acta paulista de enfer-magem, v. 20, n. 2, p. v-vi, 2007. Disponível em: . Acesso em: 25 de maio de 2018.

SCHETTINI, L. As dores da Adoção. Curitiba: Juruá, 2017.

SCHETTINI, S. S. M.; AMAZONAS, M. C. L. A.; DIAS, C. M. S. B.. Famílias adotivas: identidade e diferença. Psicologia em estudo, v. 11, n. 2, 2006. Disponível em: . Acesso em: 14 de jul. de 2018.

WEBER, Lidia Natalia Dobrianskyj. Aspectos psicológicos da adoção. 2ed. Juruá, 2003.

WRIGHT, J. H.; BASCO, M. R.; THASE, M. E. Aprendendo a terapia cognitivo-comportamental. Artmed Editora, 2009.
Publicado
12-03-2021
Como Citar
CALMON, S. DA C.; BERNARDES, L. A. A TERAPIA COGNITIVO-COMPORTAMENTAL E SUAS CONTRIBUIÇÕES PARA A IDENTIFICAÇÃO DE PENSAMENTOS DESADAPTATIVOS RECORRENTES EM PAIS ADOTANTES. Pretextos - Revista da Graduação em Psicologia da PUC Minas, v. 5, n. 10, p. 136-154, 12 mar. 2021.
Seção
Artigos de temática livre