A ciranda infantil a partir da visão de crianças de um assentamento rural vinculado ao MST

  • Regiane Sbroion de Carvalho Universidade de São Paulo
  • Ana Paula Soares da Silva Universidade de São Paulo
  • Wisner Tahan Filho Universidade de São Paulo
Palavras-chave: Criança, Ciranda Infantil, Pesquisa com Crianças, Rural, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra.

Resumo

A pesquisa objetivou compreender as significações de crianças de um assentamento rural vinculado ao MST, na região de Ribeirão Preto (SP), acerca de um espaço/tempo especificamente a elas destinado, denominado Ciranda Infantil. Utilizamos como instrumentos: diário de campo; fotografias realizadas pelas crianças; conversas a partir das fotografias e uso de fantoches. Participaram seis crianças de dez a doze anos. Os resultados indicam que a Ciranda tem sido significada pelas crianças como um espaço de socialização e aprendizagens variadas entre adultos e crianças, marcadas pela construção de relações afetivas, socioambientais e geracionais, com destaque para a ludicidade. Conclui-se que as crianças percebem que existe para elas um projeto intencional e apropriam-se deste espaço enquanto sujeitos críticos que colaboram em sua construção e/ou o disputam com os adultos. Este sentimento de ter a Ciranda como espaço próprio os autoriza a propor melhorias para sua realização.

Biografia do Autor

Regiane Sbroion de Carvalho, Universidade de São Paulo
Psicóloga formada na Universidade Federal de Uberlândia, com mestrado realizado na Universidade de São Paulo. Atualmente é doutoranda na Universidade de São Paulo, pesquisando sobre o tema política, infância, participação política de crianças, socialização política, metodologia de pesquisa com crianças.
Ana Paula Soares da Silva, Universidade de São Paulo
É Professora do curso de Psicologia e do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo (FFCLRP-USP). Possui mestrado e doutorado em Psicologia pela Universidade de São Paulo. Realizou estágio doutoral na Katholieke Universiteit Nijmegen (Holanda). Foi membro da Diretoria da Associação Brasileira de Psicologia do Desenvolvimento - ABPD (2010/2012). Coordenou o Grupo Nacional de Trabalho Orientações Curriculares para a Educação Infantil do Campo, instituído pela COEDI/SEB/MEC. Coordena o Laboratório de Psicologia Socioambiental e Práticas Educativas (LAPSAPE/FFCLRP-USP). É membro do Laboratório de Psicologia Socioambiental e Intervenção (LAPSI-IPUSP). Ministra disciplinas na graduação nas áreas de Psicologia do Desenvolvimento e Psicologia Ambiental. Pesquisa e realiza atividades de extensão relacionadas aos seguintes temas: relações sujeito-ambiente em contextos rurais, periurbanos e urbanos; educação infantil em áreas urbanas e rurais; desenvolvimento humano e formação de professora/es e educadora/es infantis; subjetividade, educação e infância nos territórios rurais e da reforma agrária; educação infantil do campo.
Wisner Tahan Filho, Universidade de São Paulo
Graduando em Psicologia na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.
Publicado
26-06-2019
Seção
Artigos / Articles / Artículos