O Paradoxo da Institucionalização Infantil: Proteção ou Risco?

  • Ana Carolina de Oliveira Parra
  • Jaqueline Alves de Oliveira
  • Ana Paula Moraes Maturana
Palavras-chave: Institucionalização infantil, Abrigo, Risco, Proteção.

Resumo

Desde meados do século XX, ganhou destaque o debate acerca dos efeitos da institucionalização de crianças. O abrigo adquire relação paradoxal entre proteção e risco, podendo ser facilitador ou dificultador para o desenvolvimento de crianças acolhidas. Assim, os objetivos do trabalho foram: identificar possíveis fatores de risco e de proteção e analisar a produção científica sobre a institucionalização infantil. Como método, realizou-se uma revisão bibliográfica utilizando os descritores: abrigo; institucionalização infantil; fatores de risco e fatores de proteção; abrigamento prolongado; vínculo, apego, abrigo. Foram consideradas publicações dos últimos quinze anos. Como resultado, onze trabalhados foram selecionados. As produções analisadas apontaram que embora o abrigo seja um local para acolhimento, assistência e proteção, deve-se estar atento aos fatores de risco e os impactos negativos da institucionalização. Conclui-se que a institucionalização se faz necessária em alguns casos, devendo ocorrer com qualidade e responsabilidade junto às famílias e com o respaldo de políticas públicas.

Palavras-chave: Institucionalização infantil; Abrigo; Risco; Proteção.

 

Publicado
12-12-2019
Seção
Artigos / Articles / Artículos