Quando morre o animal de estimação

Palavras-chave: Luto, Apego, Animais de estimação, Luto não autorizado.

Resumo

Este escrito resultou de pesquisa realizada com pessoas que perderam seus animais de estimação em decorrência de morte. A sua realização teve como objetivo a compreensão do processo de enfrentamento do luto vivenciado por essas pessoas, ao experimentarem as perdas dos seus animais de estimação. Para isto, valeu-se do enfoque qualitativo, empregando-se entrevistas semiestruturadas e recorreu-se a fundamentos da Teoria do Apego de John Bowlby e das Tarefas do Luto de W. Worden para a análise dos dados colhidos. A partir dessas referências, foi possível concluir que os participantes da pesquisa estabeleceram fortes vínculos de apego com seus animais de estimação bastante semelhantes àqueles construídos com seres humanos. Pode-se concluir que, devido a essas fortes vinculações, nas quais foram depositadas intensas expectativas de ordem afetiva, todos os processos de luto vivenciados por essas pessoas apresentaram características semelhantes àquelas presentes em processos de luto decorrentes da perda de pessoas significativas.

Biografia do Autor

Marcia Nubia Fonseca Vieira
Psicóloga Clínica - Mestre em Educação (PUC/SP)
Publicado
12-12-2019
Seção
Artigos / Articles / Artículos