A DISTORÇÃO DOS CONTOS DE FADAS NA CONTEMPORANEIDADE E SUAS IMPLICAÇÕES NO DESENVOLVIMENTO DA SUBJETIVIDADE

  • Angela Maria Pires Caniato Universidade Estadual de Maringá
  • Naiara Valdelaine Balduino Universidade Estadual de Maringá
Palavras-chave: Psicanálise, Fantasia, Contos de Fadas, Indústria Cultural, Teoria Crítica da Sociedade

Resumo

O conto de fadas pode ser um auxiliar muito pertinente no desenvolvimento infantil, principalmente no âmbito psíquico, nas questões que circundam a fantasia e a imaginação como elementos que tornam possível a constituição do pensamento. Porém, na Contemporaneidade, o que tem sido destacado sobre os contos de fadas não é a transmissão pela oralidade ou por leitura das histórias que implicam a relação com o outro, tampouco sua contribuição para a significação do mundo por parte da criança. O que se mostra é o atravessamento da indústria cultural na transmissão dos contos de fadas e algumas distorções na estrutura simbólica desses contos, o que tem corrompido seu caráter esclarecedor e inibido a capacidade da criança de fantasiar e simbolizar a vida. Relacionado ao tema, este trabalho é resultado de uma pesquisa bibliográfica sobre a obra de Bettelheim sobre os contos de fadas. Seu objetivo é analisar, com base num filme contemporâneo, as adaptações e as distorções dos contos na Contemporaneidade bem como suas implicações no desenvolvimento da subjetividade.

Palavras-chave: Contos de Fadas. Fantasia. Indústria cultural. Criança/infantil. Subjetividade.

Biografia do Autor

Angela Maria Pires Caniato, Universidade Estadual de Maringá

Pós-Graduação em Psicologia (Mestrado e Doutorado) - linha de Pesquisa Epistemologia e Práticas Sociais - da Universidade Estadual de Maringá.

Naiara Valdelaine Balduino, Universidade Estadual de Maringá
Mestranda em Psicologia pela Universidade Estadual de Maringá.
Publicado
20-05-2020
Seção
Artigos / Articles / Artículos