REPRESENTAÇÕES SOCIAIS: SEU STATUS ONTOLÓGICO

  • Elismar Alves dos Santos Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Pedrinho Arcides Guareschi Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Representações sociais, Representação, Moscovici, Ontologia.

Resumo

O status ontológico das representações sociais (RS) tem seus próprios fundamentos filosóficos, o que indica sua origem e identidade. Moscovici (1925–2014), idealizador da teoria das representações sociais (TRS), recorreu a diferentes pensadores para demonstrar como se dá a formação das representações sociais nos seres humanos. Entre estes destacam-se Durkheim, Lévy-Bruhl, Piaget e Freud. Significa que o status ontológico das representações sociais encontra fundamentos nos aspectos sociológicos, antropológicos, cognitivos e psicanalíticos. O objetivo deste artigo consiste em mostrar como esses pensadores influenciaram na criação do status ontológico das representações sociais. Para alcançar essa finalidade, o estudo valeu-se do método dedutivo como base lógica de raciocínio, da pesquisa bibliográfica como técnica de investigação e realizaram-se diversas análises das obras, em diferentes etapas, pela utilização de fichas de documentação. A conclusão a que chegamos é que as representações sociais não são apenas ideias filosóficas, mas especialmente práticas vivenciais transmitidas por meio da comunicação.

 

Biografia do Autor

Elismar Alves dos Santos, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Professor de Psicologia e Teologia na Faculdade de Filosofia e Teologia de Goiás (IFITEG) e na Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO) em Goiânia-GO.

Pedrinho Arcides Guareschi, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Professor e pesquisador convidado do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social e Institucional da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – Porto Alegre/RS. Pesquisador do CNPQ A1.

Publicado
29-09-2020
Seção
Artigos / Articles / Artículos