A psicologia do trabalho que reflete sobre seu próprio percurso de pesquisa: o caso da interdição de entrevista dos médicos cubanos atuando no programa mais médicos – BRASIL

  • Jorge Tarcisio da Rocha Falcão Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Marie Baraud Université Lumière Lyon-2
  • Nadja Maria Acioly-Régnier Université Lyon-1
Palavras-chave: psicossociologia do trabalho, médicos estrangeiros, programa Mais Médicos

Resumo

O presente artigo apresenta meta-análise de um fato real que, em princípio, apareceu para seus autores como um obstáculo à realização de projeto original de pesquisa, que passa, após refinamento de análise, à condição de parte constitutiva da pesquisa. Trata-se de impedimento à realização de entrevistas com médicos cubanos participantes do programa institucional brasileiro “Mais Médicos”, no contexto de pesquisa voltada para a análise do impacto da mobilidade de profissionais médicos do país de origem para país estrangeiro. Tal impedimento foi imposto pela autoridade cubana de acompanhamento dos referidos médicos. Reflete-se aqui acerca do princípio segundo o qual eleger a abordagem psicossociológica como referencial epistemológico, teórico e metodológico implica tratar esse tipo de vicissitude como elemento constitutivo, e não impeditivo da pesquisa. Tal postura resulta de esforço crítico contínuo do pesquisador, para o qual o estabelecimento prévio de desenho de pesquisa e sua devida realização continua ainda a postura hegemônica. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jorge Tarcisio da Rocha Falcão, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Jorge Tarcísio da Rocha Falcão  é psicólogo, mestre em psicologia cognitiva e doutor em psicologia da aprendizagem e do desenvolvimento. Tem pós-doutorado em psicologia do trabalho, com ênfase em aprendizagem em contextos escolar e extra-escolar, e em psicologia do trabalho e das organizações, atuando principalmente nas áreas de trabalho, saúde e desenvolvimento, trabalho e risco psicossocial, trabalho em contextos especiais. É professor- titular e pesquisador do departamento de psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, onde está vinculado à pós-graduação em psicologia, atuando como pesquisador e coordenador do Grupo de Estudos e Pesquisas Sobre o Trabalho (GEPET-CNPq).

Marie Baraud, Université Lumière Lyon-2
Possui mestrado em Master Psychologie de la Santé - Interculturalité pela Université Lumiere Lyon 2(2012) e doutorado em Psychologie pela Université Lumiere Lyon 2(2016). Atualmente é Ingénieur d'études da Ecole des Hautes Études en Sciences Sociales. Atua principalmente nos seguintes temas:Médicos Estrangeiros, Programa Mais Médicos, Identidade profissional, Identidade pessoal, Pesquisa biográfica.
Nadja Maria Acioly-Régnier, Université Lyon-1
Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal de Pernambuco (1981), mestrado em Psicologia Cognitiva pela Universidade Federal de Pernambuco (1985), Diploma de Estudos Aprofundados (D.E.A.) em Psicologia pela Université René Descartes Paris V Sorbonne (1989) e doutorado em Psicologia pela mesma universidade em 1994. Possui Habilitation à diriger des recherches pela Université Lumière Lyon 2 - France, em 2010.Atualmente é professora titular da ESPE- (École Supérieure du Professorat et de l?Éducation de lAcadémie de Lyon) e Pesquisadora do Laboratoire « Santé, Individu, Société » EAM-SIS-HCL 4128, Université de Lyon. Tem experiência na área de Psicologia e Educação, com ênfase em Psicologia Cognitiva, atuando principalmente nos seguintes temas: cultura, cognicao e afetividade , psicologia intercultural, didatica profissional, aprendizagem de conceitos cientificos e matematicos em contextos formais, não formais e informais. Pesquisadora dos seguinte grupos de pesquisa : Psicologia da Educação Matematica (UNICAMP); NUPPEM (UFPE); Professora visitante da Universidade de Caxias do Sul,UCS-RS-Brasil. Professora colaboradora da PUC_SP Mestrado Doutorado em Educação matematica e do programa de pos-graduação em ensino das ciências da UFRPE Recife. -Recife.
Publicado
12-12-2017
Seção
Dossiê - Psicossociologia do Trabalho