A MONOGAMIA EM KAREN HORNEY: CONSIDERAÇÕES ACERCA DAS CONSTRUÇÕES PSICANALÍTICAS SOBRE FEMINILIDADE

  • Patrícia Mafra Amorim Universidade Federal de Minas Gerais
  • Fábio Roberto Rodrigues Belo Universidade Federal de Minas Gerais
Palavras-chave: Karen Horney, monogamia, recalque, gênero, sexual.

Resumo

Este trabalho se propõe a investigar as contribuições da psicanalista Karen
Horney para a compreensão dos relacionamentos amorosos. A autora nos
pareceu uma boa representante do que Laplanche sinaliza como recalques
presentes na teoria psicanalítica. Investigamos o desenrolar da psicologia do
amor de Horney, com base na metodologia laplancheana de análise de textos
psicanalíticos, buscando apontar seus méritos e deméritos na construção de
uma teoria psicanalítica que é comprometida com as consequências políticas
de suas elaborações. A monogamia, instituição hegemônica e que tende a
ser interpretada como natural em nossa sociedade ocidental, parece-nos o
campo ideal para a discussão proposta pela autora sobre o lugar designado
às mulheres. Traçaremos, portanto, um raio vetor sobre o tema, observando
as diferentes formas pelas quais se repete na obra da autora. Colocando em
questão a forma como são constituídos os relacionamentos amorosos, fazse
necessária a abordagem das questões identificatórias e de gênero que os
perpassam.

Biografia do Autor

Patrícia Mafra Amorim, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutoranda no Programa de Psicologia Clínica na Universidade de São Paulo (USP), bolsista CAPES.

Fábio Roberto Rodrigues Belo, Universidade Federal de Minas Gerais

Professor adjunto no Departamento de Psicologia na Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Publicado
16-02-2021
Seção
Artigos / Articles / Artículos