SERIA A TEORIA DA SUBJETIVIDADE UMA VERTENTE DA PSICOLOGIA HISTÓRICO-CULTURAL?

  • Murillo Rodrigues dos Santos Universidade Federal de Goiás
Palavras-chave: Vigotski. González Rey. Psicologia histórico-cultural. Teoria da subjetividade. Pós-modernismo.

Resumo

Este trabalho tem como objetivo situar a teoria da subjetividade no contexto
da Psicologia histórico-cultural, respondendo à pergunta: seria a primeira
uma vertente da segunda ou seriam teorias independentes? Para dar conta de
tal questão, lança-se mão de uma reflexão teórica baseada na revisão de textos
importantes de González Rey, tentando identificar pontos de semelhança e
dessemelhança com a proposta vigostkiana, pela demarcação das categorias
propostas pelo autor cubano e sua interlocução com as propostas do
autor soviético. Com base nisso, chega-se à conclusão de que a teoria da
subjetividade tem importantes aproximações ontológicas e epistemológicas
com a Psicologia histórico-cultural, mas que, por esta também ter uma base
na teoria da complexidade, trata-se, de fato, de uma releitura pós-moderna
desta.

Biografia do Autor

Murillo Rodrigues dos Santos, Universidade Federal de Goiás

Doutorando em Psicologia Clínica e Cultura pela Universidade de Brasília (UnB), mestre em Psicologia pela Universidade Federal de Goiás (UFG), graduado em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás), com período sanduíche pela Universidad Católica del Norte (Chile), diretor executivo do Instituto Psicologia Goiânia.

Publicado
16-02-2021
Seção
Artigos / Articles / Artículos