Algumas aproximações entre o ciúme, a melancolia e o masoquismo

Marilia Etienne Arreguy, Claudia Amorim Garcia

Resumo


Buscamos, neste trabalho, apontar para as raízes primitivas do ciúme, discutindo o entrelaçamento narcisismo/Édipo na sua origem e enfatizando a falha na estruturação narcísica, representada justamente pela ferida narcísica que fundamenta a dinâmica ciumenta. A seguir, argumentamos com apoio na literatura pertinente, que a dinâmica ciumenta é dominada pela presença maciça de um supereu cruel, o que nos leva finalmente a sugerir a hipótese de uma forte tendência masoquista nas manifestações ciumentas do tipo depressivo.
Consideramos, a partir de Racamier (1968), que mais do que uma das doenças da paixão, o ciúme melancólico freqüentemente se apresenta como uma erigosa “hipocondria do laço amoroso, cuja sintomatologia pode culminar com o suicídio. Assim, em nosso entender, o ciúme melancólico
configura-se por uma dor que busca vazão num “a mais de prazer vinculado ao triângulo amoroso e à posição de rivalidade não superada.

Palavras-chave


Ciúme; Ferida narcísica; Complexo de Édipo; Melancolia;

Texto completo:

PDF


Direitos autorais



 

Apoio:   

            


Nossos indexadores, bancos de dados e repositórios:

                                     

                             


                    


       


 

Licença Creative CommonsEsta obra está protegida com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Esta obra está bajo una Licencia Creative Commons Reconocimiento 4.0 Internacional.
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

 

Av. Itaú, 525 - Prédio Redentoristas - 1º subsolo - Bairro Dom Cabral CEP:30535-012 - Belo Horizonte - MG - Brasil

Tel: (31) 3319-4582
e-mail: psirevista@pucminas.br