Entre a roda e o palco: reflexões sobre a experiência de um Grupo de cultura popular na imersão do espetáculo

  • Adriana Dias Gomide Araújo PUC Minas
  • Olga Rodrigues de Moraes von Simson
  • Maria Luísa Magalhães Nogueira

Resumo

Este texto parte de uma experiência de pesquisa que visa discutir os processos de inserção de grupos culturais na lógica da espetacularização. A partir da psicossociologia, refletimos sobre as transformações emergentes no processo de visibilidade do grupo “Meninas de Sinhá” do Bairro Alto Vera Cruz, em Belo Horizonte. Buscamos levar em conta o desafio da pesquisa qualitativa, que pressupõe o estabelecimento de vínculo entre pesquisador e sujeitos pesquisados. O recurso metodológico usado na pesquisa, da qual é extraída esta reflexão, foi o método de História de vida, mas focamos aqui a experiência grupal, a mudança na forma de apresentação (da roda para o palco) e a inserção no modelo de produção cultural profissional - questões tratadas pela líder e fundadora do grupo, no momento das entrevistas. Por fim, é proposta uma leitura sobre o processo do vínculo grupal e sua permanência, sem, contudo, desconsiderarmos as contradições aí presentes.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriana Dias Gomide Araújo, PUC Minas

Psicólogo, mestre em Psicologia pela Universidade Federal de Minas Gerais. Doutoranda em Psicologia pela PUC Minas.
Psicóloga da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte, consultora na área de Psicologia do Trabalho e Intervenção
Psicossocial.

Olga Rodrigues de Moraes von Simson
Professora Colaboradora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação da UNICAMP.
Maria Luísa Magalhães Nogueira
Professora Adjunta da Universidade Federal de Minas Gerais.
Publicado
12-12-2017
Seção
Dossiê - Psicossociologia do Trabalho