Políticas sociais de inclusão social para pessoas com deficiência

  • Juliana Cavalcante Marinho Paiva
  • Pedro F. Bendassolli

Resumo

O objetivo deste artigo é compreender como a temática da deficiência se desenvolveu no campo das políticas públicas brasileiras depois dos anos 1970 até os dias atuais. Especificamente, buscou-se identificar os principais marcos legais e políticos da inclusão social das PCD e caracterizar essa população, a fim de compreendermos mais acerca da realidade brasileira. Por meio de uma pesquisa documental, os resultados indicaram que, no Brasil, o movimento social das PCD se intensificou após o regime militar e ganhou contribuições de diferentes órgãos na hierarquia governamental brasileira, dentre os quais a CORDE e o CONADE, que, junto à Secretaria de Direitos Humanos, têm implementado e regulamentado ações de inclusão no país. Também se verificou que a população de PCD tem menos acesso à educação, salários menores e várias outras desvantagens, se comparadas à das pessoas sem deficiência, demonstrando que leis de inclusão no trabalho, dentre outras ações, ainda são muito necessárias. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Pedro F. Bendassolli
Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Rio Grande do Norte, Brasil. Doutor em psicologia social pela USP. Professor de psicologia do trabalho e das organizações no Departamento de Psicologia, UFRN.
Publicado
12-12-2017
Seção
Dossiê - Psicossociologia do Trabalho